OPINIÃO

Eleições: recortes históricos

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O prefeito do município de Getúlio Vargas para o período 2017 – 2020 vai ser o 19º a ser ungido pelas urnas. Segundo município emancipado no território do Alto Uruguai gaúcho, Getúlio Vargas teve no chamado Estado Novo (1937 – 1945) cinco prefeitos nomeados e um interino. Entre a eleição do Major Manoel Nunes da Costa, primeiro e único afrodescendente eleito até a eleição seguinte, em 1947 haviam se passado doze anos. No período as Câmaras Municipais ficaram fechadas ocorrendo o mesmo com as Assembleias Legislativas, a Câmara dos Deputados e o Senado.

I I
Das dezoito eleições realizadas, incluindo a que está em curso, em apenas uma, a de 1963, houve candidatura única a prefeito e vice-prefeito: Artêmio Grandene e Rozimbo Mafessoni. Quatro prefeitos foram eleitos duas vezes: Plácido Scussel e Darcy José Peruzzollo, com intervalo de outros governos, pois ao longo da história republicana a reeleição majoritária era vedada. A única exceção foi no RS durante a Primeira República (1889 – 1930), que perpetuou o PRR no poder por quase três décadas e provocou duas guerras civis (A Federalista entre 1893 e 1895, e a Revolução de 1923). Os outros dois, Dino Giaretta e Pedro Paulo Prezzotto, foram reeleitos em 2004 e 2012, respectivamente.

I I I
No período do bipartidarismo da Arena e MDB apenas o prefeito Inácio Dall’agnol fez seu sucessor, Darcy José Peruzzollo. Em pelo menos quatro oportunidades os vice-prefeitos disputaram a eleição majoritária. Na de 1955, Darcilo Giacomazzi, vice de Ernesto Bergamini, que assumiu parte do governo durante afastamento do titular para tratamento de saúde, foi vencido por Plácido Scussel. Vice-prefeito de Milton Ênio Serafini, Pedro Paulo Prezzotto disputou a eleição de 1992, ficando em segundo O mesmo ocorreu com o vice-prefeito Paulo Edgar da Silva na última eleição do século XX. A mais recente foi do vice-prefeito Jairo Galina, que no pleito de 2008 fechou na terceira posição.

Curta:

# A Câmara de Vereadores de Getúlio Vargas apreciou na sessão de quinta-feira (15) o Projeto de Decreto Legislativo 006/16 que aprova a prestação de contas do exercício 2014 do governo Pedro Paulo Prezzotto (DEM).
# Na mesma sessão foi aprovada sugestão de um vereador para que a administração demarque uma pista de caminhada e ciclovia na “Rua João Carlos Machado”, nas proximidades da Estação Rodoviária.
# A intenção do edil foi das melhores, mas errou feio o nome do logradouro, que há bastante tempo se chama Avenida Engenheiro Firmino Girardello.
# Os eleitores de 106 municípios brasileiros terão apenas uma opção de candidato ao executivo em dois de outubro.
# Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral e corresponde a 1,9% dos 5.568 municípios distribuídos nas 27 unidades da federação.
# No RS, o estado com o maior número de municípios com apenas um candidato, são 32.
# Dos 32 municípios que integram a Amau (Associação dos Municípios do Alto Uruguai) apenas três tem candidato único: Erval Grande, Barra do Rio Azul e Carlos Gomes.
# Em pelo menos um deles a oposição não registrou candidato à eleição majoritária fato que não configura como consenso.

Dito & Feito:
O ex. prefeito de Getúlio Vargas Aldino Beledeli foi um dos poucos políticos a ser convidado por Cezar Schirmer para sua posse na Secretária de Segurança Pública. O ato ocorreu no dia oito de setembro no Palácio Piratini. Além do governador e do vice-governador a presença dos integrantes do primeiro escalão. Ex. integrante do grupo dos “históricos” do PMDB de Getúlio Vargas, Aldino Beledeli abandonou a sigla no ano passado por discordar da posição dos vereadores do seu partido que rejeitaram as contas do prefeito Prezzotto.

Gostou? Compartilhe