OPINIÃO

Ensino

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Crime e o estado
Na  verdade a  sociedade brasileira – seu povo – começa a desvendar o foco sobre a criminalização, estendendo vários conceitos sobre o que seja justiça. Uma  coisa, por exemplo, que nos parecia pouco familiar, apresentada em algumas  cenas de filmes de intervenção judicial dos norte-americanos, era a famosa visita do agente  social ou psicólogo nos conflitos. Hoje, em vários procedimentos judiciais está prevista a intervenção do psicólogo, psiquiatra ou agente social. Estuda-se a medida de intervenção para  casos de  drogados, alcoólatras ou afetados por distúrbio mental  comportamental. Conflitos familiares indicam intervenção do aparato  assistencial com mais  freqüência. A evolução precisa  de  tempo, mas é uma discussão que avança. No fundo, o que está surgindo é o novo olhar da função do estado, para que não seja mero instrumento policialesco, controlado por leis aprovadas por interesses de uma elite. Salvo mazelas do sistema prisional, que está hipossuficiente, está aberta desmobilização do estado meramente policial, na reformulação do Código Penal.

As penas
Estamos vivendo uma onda de  equivocado interesse na preservação do animal doméstico. O  equívoco é o exagero. O respeito aos  animais é sempre  recomendável. Neste sentido é preciso evitar erro de avaliação como na  sugestão apresentada que pune o abandono do cachorro com pena igual ou maior do que o abandono perpetrado contra o ser humano. Não dá pra forçar!

Agrotóxico
Vivemos um Brasil gigante na produção de alimento. A preocupação vem com o uso exagerado dos  defensivos, colocando em risco as condições  da água e dos alimentos. É  claro que muito  depende da moral  dos agricultores,  grandes  e pequenos, que podem agir com civismo e  respeitar o  ambiente, ou podem  burlar e afetar a natureza. Há muito dinheiro em jogo, mas o exagero da poluição pode se  transformar  em lágrimas, mais cedo  do que  se imagina!

Proibido
Os  agrônomos  querem liberar uso de controle de ervas daninhas no estado mediante liberação de produto proibido. Qualquer insensatez será trágica.

Ensino
Educação e  ensino, nos  moldes  apregoados por Darci Ribeiro e outros, é o mote indicado para resolver essa diferença social imoral que oprime os povos. Vamos com calma. Atribuir culpas, quando muitos fatores impediram processos políticos de mudança na  educação,  seria perda  de  tempo. O excepcional avanço tecnológico que  é acessado desde a  infância não foi e não será suficiente. Dá para perceber  que a  retomada  de  valores, como a  exigência  de  concentração nos  estudos, o respeito a  alunos, professores e ao próprio prédio do colégio  é questão  fundamental.

Freio
O passo-fundense Cesar Augusto Schel Freire foi destaque na Expointer  ao conquistar o troféu Freio de Ouro. É mais um gaúcho  de Passo Fundo que mostra competência.

Logística
O  empresário Dimas Froner  em entrevista à Rádio Planalto  destacou a instalação de  empresa especializada em logística de insumos para agricultura,  que será importante  para todo o estado.
 
Mississipi
O grande  rio que corta os Estados Unidos  de norte a  sul está mal  de água. Sua navegação é muito prejudicada, encarecendo custo de produtos. Isso, além da seca que prejudica a  safra  de milho, traz problemas sérios.

Perigo
No norte  do país foram detectadas conseqüências de uso  de agrotóxico na  alteração dos cromossomos da população. As seqüelas imprevisíveis no DNA indicam deleção de cromossomos. Isso é o que se  chama devastação da natureza, com consequências  de leucemia  disfunção cerebral e  sexual  que afetam trabalhadores e pequenos produtores  rurais que lidam diretamente com as  aplicações de veneno.

Punições
É  lento o processo, mas a  responsabilização dos faltosos de ficha  suja e os envolvidos  em  corrupção, não é coisa dos outros países, graças a Deus! O recente  caso em que a justiça  manda Luiz Estêvão  devolver quase  500 milhões é bom sinal. Não é tudo. Bom começo!

Gostou? Compartilhe