Entidades educacionais e religiosas reagem à manutenção da bandeira vermelha

UPF e Arquidiocese de Passo Fundo suspenderam atividades; IMED as manteve parcialmente

Por
· 2 min de leitura
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Com a piora em cinco indicadores que justificaram a manutenção da bandeira vermelha para a região de Passo Fundo, anunciada na segunda-feira (29), pelo governador Eduardo Leite (PSDB), as principais entidades educacionais e religiosas presentes no município reagiram à decisão anunciando as diretrizes institucionais adotadas para os próximos dias.

No final da noite de segunda-feira, a Universidade de Passo Fundo (UPF) emitiu uma nota comunicando a suspensão temporária das disciplinas práticas presenciais que não puderam ser adaptadas para o ensino remoto. De acordo com a instituição de ensino superior, apenas os estudantes da área da saúde, regularmente matriculados nos estágios curriculares obrigatórios, estão autorizados a manter as atividades presenciais, em decorrência da alteração do protocolo. “Nesse contexto, a Instituição reitera sua posição de priorizar, acima de tudo, a saúde e a segurança de todos seus estudantes, professores e funcionários e de, rigorosamente, respeitar as orientações, legislações e normatizações vigentes nos âmbitos municipais, estaduais e federais”, afirmou o comunicado.

A IMED, no entanto, informou que irá manter o cronograma de atividades presenciais e práticas de forma parcial, no campus Passo Fundo, conforme o “escopo de ação desenvolvido para prevenir e evitar a disseminação da Covid-19", tomando as medidas estabelecidas no Plano de Contingência para Prevenção, Monitoramento e Controle da Transmissão da doença. “As aulas seguem como planejado no plano de contingência, sendo que as atividades serão paralisadas somente caso ocorra portaria da prefeitura vedando esta atividade”, disse o Vice-presidente Acadêmico da IMED, William Zanella.

Já o Centro de Estudos Odontológicos Meridional (CEOM), responsável pelo ensino de pós-graduação em Odontologia e atendimento odontológico à comunidade regional, também optou pelo adiamento das atividades. Segundo os protocolos sanitários, apenas casos considerados de urgência e emergência na área odontológica serão encaminhados para avaliação. Através de um ofício, o diretor administrativo do CEOM, Volmir João Fornari, enfatizou que o centro de ensino “sempre priorizou pela vida dos seus alunos, professores, pacientes e colaboradores”.

Igrejas fechadas

Considerando que o sistema de bandeiras pode ser alterado semanalmente pelo governo estadual, a Arquidiocese de Passo Fundo ressaltou que a decisão de realizar as adaptações cabe aos párocos. Assinada pelo arcebispo, Dom Rodolfo Luís Weber, a entidade religiosa lembrou, em nota, que as mudanças nas colorações condicionam a capacidade de circulação dos fiéis no interior dos templos. Na bandeira vermelha, o limite é estabelecido em 30 pessoas com trabalhadores atuando de forma restrita, com atendimento individual ou teletrabalho. “Diante da dificuldade de fazer este controle de 30 pessoas, recomendamos que não sejam celebradas missas abertas à comunidade nos municípios de bandeira vermelha”, enfatiza a orientação. 

Outras atividades mantidas

Mesmo em bandeira vermelha, que restringe os serviços tidos como não essenciais, o Clube Recreativo Juvenil informou, na tarde de terça-feira (30), que manterá as atividades na academia e treinos funcionais “respeitando o distanciamento mínimo de 16m² por pessoa”. Isso, segundo o clube, não se aplica ao espaço de massoterapia, que teve o funcionamento interrompido. 

Gostou? Compartilhe