OPINIÃO

Falsificadores do leite

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Em meio a tantas inversões e decepções dos que esperam punição de pessoas ou organizações criminosas, é oportuno registrar a resposta que vem pelo judiciário. Em decisão proferida pelo desembargador Aristides Pedroso de Albuquerque Neto, do TJRS, em resposta ao recurso de habeas corpus requerido por 12 réus presos no indiciamento por adulteração de leite na região do Alto Uruguai. O apelo foi negado e todos permanecem presos. Os desembargadores Newton Brasil de Leão e Ivar Leomar Bruxel acompanharam o voto. Pelo visto o inquérito policial coletou provas importantes, inclusive escutas telefônicas autorizadas que incriminam os supostos fraudadores. O relator menciona o completo desprezo dos acusados pelos efeitos danosos e riscos à saúde de uma multidão de pessoas. Em um dos trechos da decisão que manteve os acusados presos, o relator destaca que “há relatos, inclusive, de que os motoristas dos caminhões eram orientados pelas laboratoristas, de como fazer a mistura de água”. A começar pela possível inescrupulosa qualidade de tal água.

Conexão da mistura
Os resultados periciais vão definir as misturas nocivas usadas para mascarar a aparência do leite entregue ao resfriamento dos entrepostos da Cooperativa Tritícola de Erechim (Cotrel). Na comarca de Gaurama estão sendo julgados Arino Adalberto Adami e Angelo Antônio Paraboni Filho, responsáveis pelo recebimento do leite no posto de resfriamento. Amauri Rempel, Angélica Rempel e Márcia Bernardi e Cristiane Biasus, apontadas pela fraude no resfriamento Rempel, Além de Marcos Roberto Krukowski, Paulo César Bernstein, no entreposto Rempel e Coghetto. Além destes, outros acusados tiveram negado o habeas pela 4ª Câmara do tribunal gaúcho.

Quadrilha especializada
Pela complexidade da matéria registro os termos usados pelo desembargador relator do HC: “Constata-se que esta fraude está ocorrendo em vários estados do Sul, existindo organizações criminosas atuando nesta nefasta prática, objetivando lucro fácil à custa da saúde pública...Nas circunstâncias, pelo número flagrado nas interceptações, há fortes indícios da existência de quadrilha especializada, com divisão de tarefas entre componentes”, relata o desembargador. Nem é preciso dizer o quanto grave é o escândalo nessas redes de transportadores, que vinham prejudicando a segurança sanitária de milhares de famílias. Se existem outras armadilhas perversas neste ramo do principal alimento das famílias, é preciso permanente atenção. A resposta dos desembargadores, mantendo a prisão destes supostos malfeitores é referência de seriedade. O conteúdo desta abordagem resumida é baseado na decisão do recurso nos processos: 70063153811, 70063031827, 70063936867, 70063946824, 70063042915, 70063042899 e 70063018568.

Problema
A crise da Petrobras tem repercussões graves e que são pouco divulgadas, num momento em que brotam problemas no setor energético, como jorram os desperdícios de água potável nas adutoras mal conservadas em todo o país. A preocupação, agora, não é apenas expulsar os corruptos da Petrobras, mas tirar a empresa das mãos de especuladores e de grupos que não largam as unhas do patrimônio do povo. As perdas de mercado estão vinculadas ao espectro falta de credibilidade e rufar das asas dos abutres que aproveitam a crise para abocanhar vantagens no sinistro mercado de valores. A súbita elevação nas ações da Petrobras sinaliza esta preocupação, já que a mudança na diretoria pode reverter a favor. Isso mostra a urgência de medidas enérgicas na estatal, intimamente ligada ao desenvolvimento nacional, que não pode ficar tão fragilizada. Caiu tanto que nem se pensa em coisa pior.

Retoques:
* O noticiário de São Paulo mostra o aumento desenfreado de assaltos praticados por gangues armadas até os dentes, e muita dinamite. Mais de 400 explosões de caixas bancárias eletrônicas que já nem são reativadas.
* Voltamos ao assunto da educação. Vai começar o ano escolar. Que seja retomada sua importância e máxima participação do poder público, família e lideranças. Precisamos de um levante pela causa educacional, mais do que os efêmeros juramentos no palanque eleitoral. Escola, comunidade, mandatários e família, todos juntos, sem trégua!

Gostou? Compartilhe