OPINIÃO

Fatos 02.06.2017

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Incertezas

Estamos diante de incertezas e a crise deve perdurar. Esta é a síntese de uma observação muito maior e mais complexa feita pelo cientista político e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Giusepe Cocco. Ele está em Passo Fundo desde ontem. Participou à noite como conferencista do VII Colóquio Nacional de Direitos Humanos. Uma solução eficiente, compreendendo o momento de transformações do mundo, passará, segundo Cocco, por movimentos que ainda estão por se formar, desvinculados dos que hoje polarizam disputas ideológicas. E o grande desafio deste movimento, que ainda está por vir, é absorver as transformações e fazer as mudanças sem que isso signifique a retirada de direitos sociais. Giusepe é um dos entrevistas do Jornal O Nacional na reportagem especial do Fim de Semana.

Tchê Taxi

A Associação dos Taxistas de Passo Fundo vai disponibilizar, em 20 dias, um aplicativo para os permissionários. O Tchê Táxi será um facilitador para os usuários. Será de uso exclusivo para táxis regulamentares e condutores permissionários ou auxiliares. Todos com curso para condutor de táxi conforme Lei Federal.

Bode na sala

A proposta de plebiscito do governador José Ivo Sartori, para saber se a população quer ou não vender estatais, é o bode na sala da vez. Os deputados que não quiseram votar o projeto que retirava a obrigatoriedade do plebiscito para a venda da CRM, CEEE e Sulgás, agora não querem também autorizar a consulta.

Violação

Vereador Saul Spinelli, PSB, articula a implantação da Delegacia do Idoso em Passo Fundo. O pedido parte de informações preocupantes: O Creas realiza 70 atendimentos diários, o Balcão do Idoso outros 80 e muitos casos vão parar no Ministério Público. A absoluta maioria dos atendimentos refere-se a denuncias por maus tratos, uso indevido da aposentadoria dos idosos, abandono entre outras.

 

 

Gostou? Compartilhe