OPINIÃO

Fatos 08.11.2019

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Projeto não aprovado

A informação que o ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni  trouxe a Passo Fundo esclarece muita coisa sobre a obra do aeroporto e a manifestação do secretário de Logística e Transportes, Juvir Costela, durante a Expointer. O ministro informou que a ANAC não aprovou o projeto da Traçado por uma questão óbvia de segurança  e que a empresa tem até o dia 11 para apresentar novo projeto com as alterações apontadas pela ANAC. Quando disse na Expointer que as obras do aeroporto só seriam realizadas no próximo ano, Costela sabia do que estava falando. A época, diante da repercussão negativa na comunidade regional, voltou atrás no que falou divulgando uma nota em que anunciava a ordem de serviço ainda no mês de setembro. Não aconteceu em setembro, muito menos em outubro e já estamos quase na metade do mês de novembro. Não será neste ano, mas, talvez, em 2020. A ampliação e modernização do Aeroporto Lauro Kortz terá um investimento de R$ 44 milhões, dinheiro que integra o Programa da Aviação Regional, lançado ainda no governo da ex-presidente Dilma Rousseff.  Deste total, 97% são oriundos da União, e os 3% restantes referem-se à contrapartida do Estado.

Elogios

A recepção do ministro, articulada pelo vereador Patric Cavalcanti com entidades empresariais, foi elogiada por quem participou. Ao todo 370 ingressos vendidos e o salão nobre do Clube Comercial lotado. A relação de Onyx com a cidade vem de longa data, desde a primeira vez que ele se elegeu deputado estadual. Por isso não poupou elogios ao prefeito Luciano: “Passo Fundo é referência em gestão. Basta andar pela cidade para comprovar”.

Atração

O prefeito de Coxilha Ildo José Orth (PP) foi atração na reunião almoço com o ministro Onyx Lorenzoni, ontem, em Passo Fundo. O município é um dos cinco no Estado que estaria fora da lista de extinções, caso o projeto do governo federal seja aprovado pelo Congresso. Isso porque, conforme o Jornal O Nacional mostrou ontem, Orth está fazendo o dever de casa na recuperação de tributos próprios. Cobrança justa, sem sacrificar ainda mais o contribuinte, mas suficiente para oferecer de volta os serviços essenciais e necessários à comunidade. O prefeito Luciano Azevedo brincou com o prefeito Orth dizendo que estava torcendo para poder anexar Coxilha de volta a Passo Fundo. Orth respondeu, também em tom de brincadeira: “acho bom alcançar as metas, senão Coxilha é quem vai anexar Passo Fundo”.

Mobilização

Sobre este tema, o ministro Onyx deixou claro que não lhe agrada a proposta de extinção de municípios, por entender que esse não é o melhor caminho. Sugeriu que as Associações de Prefeitos se mobilizem para viabilizar junto aos deputados uma alternativa. Considerando que, pelo menos, 30% dos parlamentares devem disputar as eleições municipais do próximo ano, dificilmente a proposta de extinção de pequenos municípios deve vingar. Agora, repito, o debate levantado é extremamente importante. Decididamente é preciso mudar o modelo de gestão de muitas prefeituras.

Aniversário

A Comissão de Direitos Humanos de Passo Fundo vai comemorar seus 35 anos de atividades em uma atividade festiva, no salão da Lucas Araújo, às 20h. Os ingressos estão disponíveis com membros da coordenação por R$ 50,00, e parte do valor servirá para manutenção da Comissão.

Candeia no PSL

Secretário de Desenvolvimento do Estado Ruy Irigaray confirmou o ingresso do procurador Rodinei Candeia no PSL e já anunciou que ele é o pré-candidato a prefeito de Passo Fundo pelo partido. Candeia concorreu a deputado federal pelo PP na última eleição e deixou o partido depois de perder uma prévia interna para a eleição de 2020. O ingresso no PSL já era cogitado.

Drones

A Rede de Farmácias São João testou com sucesso, em outubro, a utilização de drones para a entrega de medicamentos. A tecnologia será utilizada efetivamente em 2020.

Gostou? Compartilhe