OPINIÃO

Fatos 09/11/2012

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Respeito I
Ciclistas do grupo Pedal da Noite se movimentam para a campanha “Respeito no trânsito”. A motivação veio de um incidente na quarta-feira à noite, na Avenida Brasil, próximo ao colégio Fagundes dos Reis. Como fazem toda a quarta-feira, os cerca de 40 ciclistas percorriam a Avenida Brasil para o já tradicional passeio noturno, quando o motorista que conduzia um ônibus da Codepas cortou a frente de um deles. Os dois pararam e ciclista que teve a frente cortada questionou a atitude do motorista do ônibus. Este por sua vez ameaçou descer do veículo numa atitude agressiva. Na sequencia arrancou o ônibus atingindo a roda traseira do ciclista que foi jogado para a calçada.  O caso foi parar na policia.

Respeito II
“A rua foi feita para carros”, disse o motorista do ônibus da Codepas ao ciclista envolvido no incidente. Obviamente que o profissional em questão não está representando de forma adequada a empresa para qual trabalha. Atitude como esta é inadmissível para qualquer motorista.  A rua não foi feita só para carros e o Código Nacional de Trânsito é bem claro: os maiores tem que cuidar os menores e não passar por cima. Se o motorista não aprendeu esta lição, não deveria estar dirigindo, muito menos um coletivo urbano.

Fusão
Paulo Maluf está empenhado em realizar a fusão do PP com o PSD. Maluf é craque em fundir o próprio partido. A Arena virou PDS, depois passou para PPR, que virou PPB e agora é PP. Em todas as situações Maluf esteve à frente das mudanças. E o que pensam nossas lideranças progressistas a respeito do assunto?

Reflexos
Situação vivida pelos agricultores em função da frustração das safras de verão e de inverno deve se refletir na economia do município no próximo ano. O detalhe é que este reflexo não será tão intenso como o registrado com a seca de 2005. O município já não depende diretamente do bom desempenho da agricultura para movimentar sua economia.



Gostou? Compartilhe