OPINIÃO

Fatos 11.01.2017

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Negócio

Colunista Políbio Braga publicou no blog no dia 30 de dezembro do ano passado, que a Petrobrás não tem mais interesse em participar do setor de biocombustíveis. Por esta razão, está deixando o controle de sete usinas de açúcar e álcool da Guarani. Segundo o colunista, a Petrobrás, estaria vendendo, também, as ações que possui na Bsbios. A empresa de Passo Fundo disse ao colunista Políbio que não sabe de nada. O Nacional entrou em contato com a Bsbios ontem à tarde e ela voltou a dizer que não se pronunciará a respeito. Em novembro a Petrobrás decidiu fechar a usina de biodiesel de Quixadá, no Ceará, processo que deve durar seis meses.

Prejuizo

Em outubro do ano passado, a Petrobrás divulgou no seu plano de negócios, que deixará de atuar no segmento biocombustíveis. A ideia é tentar vender as unidades. Criada em 2008, a Petrobras combustíveis vem dando seguidos prejuízos à estatal. Em 2015, a perda foi de R$ 955,8 milhões, segundo fontes do mercado.   .

Articulação

A bancada da oposição na Câmara de Vereadores pode ser a menor em número, mas não é fraca.

Adjunta

A delegada de polícia Cláudia Crusius, agora servidora aposentada, foi nomeada ontem secretária municipal adjunta da Segurança Pública de Porto Alegre. Assume um grande desafio na área que mais conhece e dedicou a vida profissional. Enche de orgulho Passo Fundo, onde atuou por anos como titular da Delegacia da Mulher, realizando um trabalho exemplar. Antes de se aposentar, coordenou as delegacias de mulheres do Estado e foi titular da especializada na Capital.

Sem carnaval

Na esteira da crise, mais uma vez, o carnaval de rua é cancelado em Passo Fundo. Em Porto Alegre, o prefeito Nelson Marchezan, PSDB, já se pronunciou que não haverá recurso público para o desfile. A festa mais popular do país, ameaçada de extinção pela crise. Se vale para o carnaval, deve valer também para todos os outros eventos ditos populares, inclusive os tradicionalistas. 

Gostou? Compartilhe