OPINIÃO

Fatos 14.11.2019

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Aeroporto x obras

A propósito das obras do aeroporto Lauro Kortz, o secretário de desenvolvimento de Passo Fundo, Carlos Eduardo Lopes da Silva, acredita que a Secretaria de Aviação Civil, possa dar o parecer ao projeto da empresa Traçado na próxima semana. “O projeto executivo está mais robusto e foram feitas todas as adequações necessárias, considerando as novas aeronaves que irão operar no aeroporto”, segundo ele. Foi por esta razão que a Traçado precisou rever alguns parâmetros da obra, atrasando o cronograma e mexendo no custo. Ele garante que a empresa dispõe de profissionais altamente competentes, com experiência em terminais e, na visão da Traçado, eles já atingiram a qualidade necessária. Lopes observa que o Lauro Kortz será o primeiro aeroporto regional do Brasil que terá cumprido todas as fases até a liberação de obras. “Por esta razão, o primeiro apanha mais porque o fluxo não está conhecido e as inseguranças são maiores em função do controle exigido”, complementa. Ainda há esperança de que a obra comece neste ano ou que, pelo menos, o canteiro de obras esteja montado até dezembro.

Decisão

Filiados ao PSL de Passo Fundo decidirão no sábado quem acompanha o presidente Jair Bolsonaro para o novo partido. Indicativo do presidente da executiva provisória, Francisco Lupatini, em matéria que está publicada na página 7 da edição de hoje de ON, é de acompanhamento em massa. A grande dúvida é sobre como Bolsonaro vai conseguir criar um partido em tempo de participar das eleições de 2020. Especialistas indicam que a média é de três anos e meio e que o presidente teria pouco mais de 140 dias para todos os trâmites legais.

Alternativa

O prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella se reuniu com Bolsonaro e teria colocado a Igreja Universal à disposição do presidente para conseguir o número de assinaturas necessárias para criar o novo partido.

Fusão

Sobre a possibilidade de fusão entre DEM e o que restar do PSL, o Rio Grande do Sul tem posição diferente das lideranças nacionais. Segundo o vereador Patric Cavalcanti, em que pese o bom relacionamento entre DEM e PSL em Passo Fundo, dificilmente a união dos dois partidos deve se confirmar, porque não envolve lideranças que apóiam o governo Bolsonaro.

Coordenador

O vice-prefeito de Passo Fundo, João Pedro Nunes, foi eleito no último sábado (9), em Marau, coordenador regional do MDB, cargo que deverá ocupar por dois anos. A missão agora é articular as eleições na região, que compreende 23 municípios, sendo 5 com prefeitos do MDB, dois com vice-prefeitos, além de 59 vereadores. João Pedro fica responsável pela mobilização e articulação com os presidentes dos diretórios municipais para as eleições de 2020, tendo como principal objetivo fazer crescer o número de prefeitos e vereadores na região. Esse é um forte indicativo de que João Pedro não será candidato a prefeito. Imagina conciliar a tarefa de articulação regional com uma campanha à Prefeitura? Como candidato a vice não teria problemas.

Temerário

O ex-deputado Beto Albuquerque teve uma atuação importante na elaboração de normas para redução de acidentes de trânsito. Considerou temerária a proposta do governo para extinguir o DPVAT. “Primeiro porque é um recurso que metade (R$ 2,3 bi/ano) vão para a saúde. A outra metade e para indenização famílias de feridos ou mortos no trânsito. Um atropelado que morre no trânsito mesmo não sabendo quem o matou, acontece muito isto nas estradas, a família tem direito a receber. Agora, deixa-se de pagar o DPVAT, como ficam as famílias das vítimas neste momento difícil?”

 

Gostou? Compartilhe