OPINIÃO

Fatos 16/10/2012

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Secretário
Técnico e econômico. Assim se auto define Gilberto Bedin, futuro Secretário de Finanças do município de Passo Fundo, primeiro a ser anunciado como integrante da equipe do prefeito eleito Luciano Azevedo. O anúncio foi feito pelo próprio prefeito eleito ao lado do vice Juliano Roso e do coordenador de campanha Tadeu Karczeski. Bedin comanda um dos mais tradicionais escritórios de contabilidade do município, herdado do pai (in memoriam). É contador e advogado. Recebeu o convite com satisfação e alegria em poder colaborar com o prefeito eleito. “É um desafio. Minha tarefa será contribuir para a execução dos projetos de governo, especialmente os voltados a inovação com os quais me identifico”, disse à colunista.

Transição
Neste primeiro momento, Bedin vai dedicar-se a participar do grupo que fará a transição das administrações, inteirando-se da situação financeira do município. Preliminarmente sabe que as contas estão em dia, bem estruturada e estável. O primeiro encontro para a transição será entre Luciano e Airton Dipp na sexta-feira.  A coordenação do processo será do vice Juliano.

 Espaço
Tadeu Karczeski vai comandar a negociação com os partidos para ampliar a base de governo. Na hipótese de conquistar o PP, que já manifesta interesse em compor, como primeiro suplente, o jovem Matheus Wesp poderá ganhar espaço na Câmara ou até mesmo vir a ocupar uma pasta na administração.

Resultado
Candidatos a vereador do PT e que foram secretários na administração do prefeito Airton Dipp não tiveram bom desempenho nas urnas. O relacionamento com os servidores fez a diferença para muitos deles.

Intervenção
O PSDB estadual pode sofrer intervenção do diretório nacional. A divisão no partido está ainda mais acirrada depois da eleição. De um lado Nelson Marchezan Junior e de outro Yeda Crusius.

Gostou? Compartilhe