OPINIÃO

Fatos - 17/01/2012

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Cassação

O diretório municipal do PSOL não se contentou com a devolução do dinheiro que o prefeito Luciano Azevedo e o então candidato a prefeito do PT Rene Cecconello receberam da Bsbios para a campanha eleitoral. Os dois, como candidatos, receberam R$ 40 mil (respectivamente) como doação da empresa, mas devolveram os valores depois que o PSOL argumentou em ação que a empresa, sócia da Petrobras, tem caráter também público. O juiz eleitoral Dalmir Franklin concordou com o procedimento e encerrou o processo. No entanto, o Psol apresentou recurso ao TRE, pedindo a aplicação da pena de inelegibilidade dos candidatos Luciano Azevedo, Juliano Roso, Rene Cecconello e César Bilibio, bem como a cassação do diploma dos eleitos. O caso deve parar no TSE.

Economia

O prefeito Luciano Azevedo nomeou até o momento somente os CCs (cargos em comissão) necessários para o andamento dos trabalhos de sua gestão. Desde o dia 2 de janeiro, foram contratadas 42 pessoas nestes cargos, número que representa menos de 25% dos 169 CCs que participavam da administração anterior. Com esta redução, a economia estimada para os cofres públicos é de, aproximadamente, R$ 300 mil no mês de janeiro. O prefeito já informou que não contratará mais ninguém até o final deste mês.

Retomada

A matéria de ON sobre os índices de infrações no trânsito de Passo Fundo, que teve comentário da colunista na mesma edição continua repercutindo. O leitor Sérgio Luís Algarve relatou um fato que presenciou dias atrás: Três senhoras, com aproximadamente 60 anos de idade cada uma, colocaram os pés para fora da calçada na faixa de segurança, após a parada de ônibus em frente ao Clube Comercial, quando o motorista do ônibus arrancou quase atropelando as senhoras. O mais incrível é que ele parou sobre a faixa de segurança pois a sinaleira da esquina da Av. Brasil com a rua Cel. Chicuta estava fechada.

Fiscalização

O mesmo leitor diz estar aguardando que o novo secretário de Segurança Público convoque a guarda municipal realizar efetiva fiscalização. “Nem que tenha que arder no bolso dos irresponsáveis que se consideram motoristas. Tenho certeza que haverá o aplauso da ordeira comunidade que anda dentro da lei”, enfatizou o leitor. O espaço continua aberto para outras manifestações.

Samu

Merece aplauso a determinação do Ministério da Saúde para que os municípios devolvam ao governo as unidades do Samu que estão paradas. Lamentavelmente Passo Fundo está entre estes municípios, pois a unidade do Samu ainda não atuou com o propósito a que veio por falta de equipe especializada. Por consequência, tem sido utilizada apenas na ausência da ambulância de atendimento básico.

 

 

 

Gostou? Compartilhe