OPINIÃO

Fatos 19.05.2016

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Estrutura cara

“O Brasil gasta mais do que países desenvolvidos na prestação jurídica. A despesa orçamentária da União com o Poder Judiciário Federal é de 2% a 3% da sua receita. Na França, em 1996, a justiça recebia 1,51%. Na Itália, 1,45%; na Alemanha, 1,85%, e nos Estados Unidos, 1,35%. Faço essa referência para mostrar que já gastamos quantia relativamente maior que países desenvolvidos com a prestação da justiça. Por isso, temos que repensar esse trabalho e esse gasto. Não podemos esperar que essa alteração se dê com a criação de uma estrutura, com novos cargos e prédios, porque já chegamos no limite. Não podemos pensar em aumentar a estrutura do Judiciário 20% todos os anos”. A reflexão foi feita terça-feira à noite pelo ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça Ruy Rosado de Aguiar Júnior, na aula magna em comemoração aos 60 anos da Faculdade de Direito da UPF.

Corrupção

A corrupção sangra o país. Mas, ela não é um privilégio dos políticos. Quando uma pessoa tenta burlar um serviço de compartilhamento de bicicletas, não devolvendo o veículo na estação onde pegou ou na mais próxima, ela está comentando um tipo de corrupção. Da mesma forma, quando uma empresa constituída utiliza-se de mecanismos para receber ilicitamente dinheiro público, ela é tão corrupta quanto o maior político corrupto do país. A corrupção não é só uma questão cultural, é uma doença que precisa de remédio amargo.

A todo vapor

A campanha eleitoral começou. Quem ainda não se deu conta disso, basta stalkear os pré-candidatos nas redes sociais. Para os antigos, significa o mesmo que dar aquela bisbilhotada na vida alheia. Enquanto o prefeito Luciano Azevedo é carregado nos braços por alunos de uma escola, o ex-prefeito Osvaldo Gomes, retoma seu convívio nas redes sociais levando sempre uma mensagem de esperança e fé ao dar bom dia aos seus seguidores.

Veto

Através do Twitter, o governador José Ivo Sartori informou ontem que vai vetar os projetos de lei aprovados pela Assembleia e que concedem aumento a servidores do Judiciário e demais instituições. “Entendo que a reposição pretendida é justa, mas inoportuna. Não está em sintonia com a profunda crise que vivemos”. O impacto do reajuste de 8,13%, que agora está sendo reivindicado pelo magistério, será superior a R$ 150 milhões aos cofres públicos.

Gostou? Compartilhe