OPINIÃO

Fatos 21.04.2017

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Avanços

Avançam as mudanças na proposta original de pedágio e duplicação da BR 386. O grupo de trabalho esteve reunido em Brasília esta semana e definiu propostas que contemplam reivindicações regionais. Dentre elas, a inclusão do município de Sarandi no traçado da duplicação, com a instalação de uma praça de pedágio. Também, que o cronograma de obras deve iniciar a partir do terceiro ano de concessão da rodovia. A nova proposta exclui a criação de uma quinta pista na Freeway, reduzindo custo total do projeto. São premissas o deslocamento da praça de Fontoura Xavier para São José do Herval e o deslocamento da praça de Mormaço para Tio Hugo divisa com Santo Antônio do Planalto. O que significa isso? que o município de Soledade não ficará espremido entre uma praça e outra, porque aumentou a distância entre elas. E, também, para quem sai de Passo Fundo em direção a Porto Alegre, vai passar por três praças e não mais quatro como a proposta original.

Nova reunião

O grupo de trabalho volta a se reunir no dia 11 de maio, desta vez em Porto Alegre, quando o assunto será a tarifa dos pedágios. O professor Idioney Oliveira Vieira, diretor do Campus UPF de Soledade é um dos representantes da região no grupo técnico. Outro encontro vai acontecer em Carazinho, no dia 12 de maio. É uma audiência pública organizada pelo deputado Juliano Roso, do PCdoB, em parceria com a Câmara de Vereadores. Será às 18h no campus da UPF Carazinho. 

Custo da duplicação

No projeto original o custo do trecho da duplicação da BR 386 (de Carazinho, até Lajeado), é de R$ 1,1 bilhão. O valor pode ser acrescido se o projeto absorver todas as demandas dos municípios que margeiam a rodovia. Até agora esta conta está em R$ 471 milhões. É que estes municípios reivindicam vias paralelas à duplicada, acessos como trevos e até elevadas. Uma das discussões é de onde sairá a primeira captação para iniciar a obra em três anos. A possibilidade de financiar a primeira etapa através do BNDES ganha força no grupo técnico. 

Fake news

Um perfil falso da Prefeitura de Passo Fundo dá o que falar para o gabinete de comunicação. Quem administra o fake news compartilha vídeos e notícias da política. Ilógico para um espaço que é do Poder Público. Haviam outros dois perfis falsos, que foram retirados do ar. O que persiste está dando um pouco mais de trabalho. Para quem não quiser entrar na onde, o perfil falso usa uma foto do prédio do antigo Hotel Glória. O perfil oficial tem como foto de capa uma imagem aérea da cidade

Demandas

A presidente do Sindilojas de Passo Fundo, empresária Sueli Marini iniciou uma série de encontros com os vereadores para tratar as demandas da entidade. As reuniões são realizadas por bancadas partidárias. Um dos temas da pauta refere-se ao lixo reciclável que as lojas depositam nas calçadas e, em alguns casos, nos canteiros. O Sindilojas quer encontrar uma solução em conjunto com o Poder Público e os vereadores tem papel essencial nesta discussão.

O vereador Ronaldo Rosa, SD, sofre críticas pelo projeto que pretende retirar a Caravela do canteiro do trevo do Boqueirão. Um monumento inútil na entrada de Passo Fundo. É papel do vereador, sim, preocupar-se com temas que dizem respeito ao ambiente urbano. E, se o monumento foi implantado por lei, só outra lei pode retirá-lo do local. Dentro do processo Legislativo, este é o caminho.  

Coerência

Foi ponderada a coerente a decisão da Procuradoria Geral do Município em desistir do recurso na ação que terminou com a proibição do estacionamento no centro da cidade, especialmente na Moron. Era inconstitucional por vício de origem. Fazer o recurso era chover no molhado. Isso não significa, como bem colocou o Procurador Adolfo Freitas, que o município não vá ordenar o estacionamento nestes locais. É assunto para mais tarde. 

Gostou? Compartilhe