OPINIÃO

Fatos 24.08.2019

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

É uma questão de compreensão

Depois de passar pelo processo de constituição formal e legal da APAC – Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, agora o processo é de convencimento de que este é um modelo que funciona, por mais absurdo que ele possa parecer aos olhos do cidadão. A APAC existe desde 1972 e hoje são 150 unidades em todo o país. Passo Fundo deve começar a operar com a sua unidade, em 2020. O modelo se baseia em um atendimento humanizado. Não tem guardas, nem armas e o preso que cumprirá toda a sua pena no sistema, não pode, sequer, fumar cigarros. Ele não vai criar mais vagas e não vai substituir os presídios. Mas ele pode ser uma alternativa, dentre tantas, para recuperar estas pessoas do crime. Além disso, o custo dele é 50% menor do que o sistema atual e é gerido pela entidade. O que é melhor para a sociedade? Que presos sejam empilhados em presídios arcaicos e continuem a cometer crimes dentro ou fora deles, ou que estas pessoas cumpram as penas que dizem respeito aos crimes que cometeram, e saiam recuperadas, produzindo para elas e para a sociedade?

Acolher é proteger

“Acolher o preso é proteger a sociedade”. A frase é do procurador de Justiça Gilmar Bortolotto, que participou da audiência pública sobre a APAC, sexta-feira, na Faculdade de Direito da UPF, promovida pela Assembleia Legislativa.  “As pessoas se manifestam, especialmente nas redes sociais, sem ter conhecimento do que está acontecendo no sistema prisional. As facções se utilizam do ambiente das casas prisionais para ‘catequisar’ mais gente. Utilizam os presos para mão de obra para o crime. No entanto, além dos presos, muitos familiares, dentre os quais mulheres e crianças, estão em contato com esse ambiente. Cerca de 1 milhão de pessoas circulam nos estabelecimentos penais”, enfatizou.

Novas filiações

O PT municipal realiza no dia 31 de agosto a Jornada do PT, com a presença do deputado federal Paulo Pimenta. Além de prestar homenagem a um dos fundadores do partido, Fernandão, que morreu recentemente, o ato será marcado por debates e filiações partidárias. Entre os filiados está o advogado Julio César Pacheco, que deixou o PDT recentemente. Pimenta também participará de um almoço com a militância.

Composição

A semana teve o anúncio do vice-líder do governo na Câmara Municipal: o vereador Evandro Meireles, do PTB, foi o escolhido. Vai trabalhar ao lado do novo líder do governo, Ronaldo Rosa (Solidariedade). É mais uma sinalização do governo aos partidos aliados e posicionamento de centro para as eleições de 2020.

Boa ação

Nem tudo está perdido. Tenhamos fé nessa gurizada de cabeça arejada. Colegas do Terceiro ano do Colégio Tiradentes fazendo a sua parte na sociedade, doando sangue no Hemopassso. A rapaziada tem entre 17 e 18 anos.

Responsabilidade

O Caderno Gestão S.A deste mês, encartado na edição de fim de semana de ON, traz a história dos advogados Norberto Hallwass e Andrea Stobbe, que decidiram doar o seu tempo, conhecimento profissional para montar uma ONG que trabalha com adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa no semiaberto. Atenderam, em co-gestão com a Fase, mais de mil adolescentes desde 2010, quando o Cededica foi criado. Mais de 70% de jovens foram reinseridos com o mais absoluto sucesso. Transformaram o Cededica em uma ONG modelo e mostram que, se cada um fizer a sua parte com responsabilidade, as coisas podem melhorar e muito. 

Gostou? Compartilhe