OPINIÃO

Fatos - 25/11/2014

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Sucessão
O PDT começa a debater internamente a sucessão municipal. As discussões ganham corpo nos grupos que defendem posições distintas. Há um grupo pendendo para aproximar o partido da administração de Luciano Azevedo e outro que defende candidatura própria. No entanto, este segundo quer uma resposta do deputado estadual Diogenes Basegio. O parlamentar, reeleito para o segundo mandato, quer ou não ser o candidato a prefeito do PDT em 2016? Se não quiser, o mesmo grupo trabalha com nomes alternativos como o do vereador e médico Alberi Grando, podendo apostar, inclusive, numa dobradinha chapa pura: Grando e Patussi.

Substituto
O engenheiro ambiental Rubens Astolfi, 24 anos, atual adjunto da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, é cotado para assumir o lugar de Enilson Gonçalves. O titular da pasta deve ir para a Assembleia Legislativa para assessorar o deputado estadual eleito Juliano Roso, PCdoB.

Pressão I
A pressão para que Beto Albuquerque assuma função no governo de José Ivo Sartori é grande. Esta pressão vem do próprio Sartori que já disse que Beto pode ser o que quiser dentro do governo. Beto ainda não decidiu, o que deve ocorrer esta semana. O parlamentar quer focar na atividade partidária em âmbito nacional. Assumiria o papel de articulador e líder político dos socialistas. Está preparado para o que decidir fazer.

Pressão II
O presidente do Simpasso Marcelo Ebling, de forma inteligente, já pegou o fraco dos políticos que estão no poder, tanto no Executivo quanto noLegislativo: não suportam pressão. Não é fácil enfrentar protestos todos os dias em frente a prefeitura e a Câmara. Por isso, o prefeito Luciano Azevedo já cedeu, retirando o projeto de alteração do ticket e, por isso, os vereadores não conseguem tomar posição firme em relação ao tema. Aceitaram a pressão.

Rede
Nesta terça-feira será retomado o movimento pelas assinaturas pró-Rede, em Passo Fundo. O grupo precisa reunir mais 35 mil assinaturas no país para criar o partido. A reunião será às 19h, na Câmara de Vereadores.

Gostou? Compartilhe