OPINIÃO

Fatos 27.06.2019

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Caminho sem volta
As leis, recomendações, proibições não irão barrar a transformação das relações sociais em pleno curso. A Folha de São Paulo publicou ontem que diplomatas receberam nas últimas semanas instruções oficiais do comando do Itamaraty para que, em negociações em foros multilaterais, reiterem “o entendimento do governo brasileiro de que a palavra gênero significa o sexo biológico: feminino ou masculino”. “Segundo a Folha, “a teoria de gênero estabelece que gênero e orientação sexual são construções sociais, e não apenas determinações biológicas. Já para segmentos da direita, a “ideologia de gênero” é um ataque ao conceito tradicional de família”. Pois Passo Fundo está na vanguarda desta tentativa de retrocesso. No ano passado, a Câmara de Vereadores aprovou alteração no Plano Municipal de Ensino, estabelecendo que a palavra gênero no PML, deve ser acompanhada de feminino e masculino. O autor da proposta, vereador Gabriel Toson, justificou a época que as pessoas nascem do sexo masculino ou feminino e que isso independe da orientação sexual. A votação da Câmara foi expressiva e a lei foi publicada em janeiro. O Ministério Público ficou de examinar se havia ilegalidade na alteração, visto que uma mudança no PML deveria ser precedida de debates. A alteração no PML é inócua e não muda conceitos e nem concepções sobre. Estamos vivendo outro momento e esta transformação é um caminho sem volta.

 

Acesso restrito
O acesso ao site da Câmara de Vereadores está restrito por um tempo. Para navegar no site é preciso informar o número de IP do computador ao setor de Tecnologia da Informação do Legislativo, que vai proceder a liberação temporária somente para a máquina cujo número foi informado. As ações são provisórias em virtude dos ataques hackers ao site institucional. Em breve todos estarão liberados.

 

Frase do dia!
“Ele é uma mula qualificada”, disse o vice-presidente da República Hamilton Mourão ao comentar a prisão do militar, preso na Espanha, por levar 39 Kg de cocaína. O militar integrava um dos aviões de apoio da comitiva do presidente Jair Bolsonaro ao Japão, para a reunião da cúpula do G20. O caso será investigado pelas autoridades da Espanha (ele foi preso numa conexão em Sevilha).

 

Investigação
O próprio presidente e o vice Mourão já determinaram investigação para apurar as conexões possíveis no Brasil e se houve falha, o que se acredita que sim, do GSI – Gabinete de Segurança Institucional, que não detectou a droga antes do embarque. Em se tratando de comitivas de chefe de estado, todo o cuidado é pouco. O Sargento, que atuava como comissário de bordo, fez 29 viagens ao exterior desde 2011, várias delas como staff presidencial. Se julgava acima de qualquer suspeita.

 

Previdência
A comissão especial da reforma da Previdência encerrou ontem a discussão do parecer do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) sobre a proposta. Com isso, os deputados podem dar início ao processo de votação. A intenção é votar a matéria na Câmara até a primeira quinzena de julho. Ao longo de quatro dias, 127 deputados mais os líderes partidários debateram a proposta. Foram mais de 30 horas de discussão.


Votação
A complementação de voto do relator será lida hoje, 9h, quando a comissão também deve começar a votar requerimentos de adiamento da votação, que serão usados como estratégia de obstrução. O adiamento se deveu ao esforço do presidente da Casa, Rodrigo Maia, que tenta negociar a inclusão de estados e municípios na proposta. 

Gostou? Compartilhe