OPINIÃO

Fatos 27.12.2016

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

 

 

Decisão

O Luís Christiano Enger Aires, seguiu o entendimento do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, e não concedeu liminar pretendida pelo Simpasso, para que o município voltasse a pagar o vale-alimentação aos servidores inativos (aposentados). Segundo o juiz, não há dúvidas sobre a inconstitucionalidade da lei. Citou jurisprudência recente do STF sobre a matéria. A concessão de tal benefício por parte do Executivo “é violação aos princípios da moralidade administrativa e de respeito ao interesse público, visto que verba genuinamente indenizatória, não se incorpora a remuneração do servidor e não pode ser paga a quem já não mais se encontra em atividade”. Trocando em miúdos: o vale-alimentação é um direito concedido a trabalhadores da ativa, que precisam se deslocar todos os dias para o trabalho e usar o ticket para fazer suas refeições no intervalo legal. E este valor não pode ser incorporado como parte da aposentadoria. Mais claro do que isso, só desenhando. Ou alguém conhece algum aposentado que receba vale-alimentação do INSS? O papel das entidades sindicais representativas é lutar para melhorar os vencimentos dos servidores da ativa ou inativos, não para descumprir normais legais.  

Assessoria

Um assessoramento mal feito acaba induzindo ao erro. É trabalho dobrado. Tem que fazer e refazer. Energia gasta com o que não é necessário.  Portanto, se cabe um conselho aos nobres novos vereadores e aos que foram reeleitos (e aprenderam com a experiência) cerquem-se de assessores técnicos. O trabalho parlamentar ganha qualidade e a sociedade agradece. Prefiram o entendimento jurídico adequado a fazer projetos populistas que não tem resultado efetivo nenhum.

 Agenda

O deputado estadual Juliano Roso, do PCdoB, realizou ontem uma agenda de reuniões pela região das Missões. O parlamentar está em visita as cidades de Santo Ângelo e São Luiz Gonzaga.

Sem explicação

Mesmo que todas as justificativas sejam dadas, não há como explicar que a Assembleia aprovou a demissão de 1,2 mil funcionários celetistas das Fundações extintas, e não aprovou mudança no cálculo do duodécimo, do qual ela mesma se beneficia, cujo valor no orçamento seria realmente significativo.

 

 

Gostou? Compartilhe