OPINIÃO

Flagrantes e Memórias

Por
· 3 min de leitura
Dona Helena, como era conhecida discursando na sede do PTB, em 1961. 

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Helena Salton: A maior primeira-dama que tivemos

 A presença e atuação da primeira-dama em qualquer nível de governo, federal ao lado do Presidente da República, estadual, ao lado do Governador ou municipal, junto ao Prefeito, teve grandes nomes que tornaram-se tão conhecidos e admirados tanto quanto dos seus maridos. A esposa de Getúlio Vargas, ao longo dos seus 15 anos de ditadura, sempre esteve à testa dos movimentos sociais. Alceu Collares levantou uma barra pesadíssima com a professora Neusa, que lutou e muito pela modernização do ensino, mesmo sendo bombardeada pela classe dos professores. Em nosso município um nome teve um destaque que até hoje é insuperável: Helena Annes Salton, nos governos do esposo Wolmar Salton, foi uma baluarte liderando todos os movimentos sociais. Fundou creches, lar das mães solteiras, amparou escolas as mais pobres com a aquisição de materiais. Teve o reconhecimento com a imortalização do seu nome em crehes, escolas, ruas e abrigos. Compreendemos a situação  das demais que vivem uma outra etapa da vida. Todas com atividades profissionais definidas, médica, odontóloga, professora, o que impede uma permanente presença junto ao esposo-prefeito. Na fato o casamento ocorrido na capela do colégio Notre Dame no dia 19 de setembro de l946,colégio onde dona Helena sempre estudou e foi  presidente das ex-alunas.
 
 Dona Helena, como era conhecida, nasceu no dia 21 de setembro de 1922 em Santa Maria, onde seu pai, o grande líder político, Armando de Araújo Annes tinha uma filial do Banco de Colonização, por ele fundado, com filiais em Uruguaiana e Passo Fundo. Retornou a Passo Fundo, após alguns anos, com o desaparecimento da casa bancária. Desde jovem, dona Helena participava ativamente da política com seu pai e depois com seu esposo. O pai foi por 3 vezes prefeito, duas por escolha do governo e a última por eleição democrática quando venceu aos senhores Dionísio Lângaro e Carlos Galvez. Sempre presente aos comícios e liderando os grupos de senhoras, com um discurso vibrante e contagiante. A foto nos mostra a grande líder discursando na sede do PTB, em 1961.
 
 A enfermidade que terminou levando o esposo, colocou dona Helena à frente de todos os movimentos sociais, fundou a CEBEM, presidiu a LBA, organizou entidades que abrigavam e assistiam idosos indigentes e enfermos. Numa oportunidade, uma das creches fundadas por dona Helena precisava de uma máquina de costura. Ela recorreu às senhoras Maninha Fazzolo e Mary Duarte. Estas, por tratar-se de uma entidade por ela dirigida, prontamente foram em busca da máquina. Os que foram procurados, ao saberem que trata-se de mais uma obra de caridade da senhora Helena, prontamente contribuíam, o que tornou a missão fácil e rápida. O Governador do Estado, Amaral de Souza, veio especialmente para visitar Wolmar Salton, então enfermo, junto com seus secretários Augusto Trein e Jair Soares. Foi recebido por dona Helena e sua mãe, Dona Pequena, que vemos na foto com o senhor Wolmar, Augusto Trein e o governador.

 Dona Helena foi sempre uma presença para a família. Teve os filhos João Antônio, Carlos Armando, Jorge Alberto e Maria Luiza. Deixou vários netos, hoje presentes nas mais variadas áreas da vida passo-fundense, todos orgulhosos do nome que levam consigo e a imagem marcante da mãe e avó. Na foto, dona Helena, junto ao esposo Wolmar Salton, numa campanha política, do MDB, ouvindo o grande líder Pedro Simon, quando aqui esteve.
 
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
Os cem anos do Clube Juvenil
 
 No dia 18 último, a cidade, jubilosa, comemorou os 100 anos do Clube Recreativo Juvenil, entidade modelo para a cidade, região e estado. Tivemos importantes presenças, uma bela mensagem do Prefeito Luciano Azevedo, como também do presidente Vilson Rizzo, que vemos no alto com sua esposa e a Rainha, Kamile Krauzs, comemorando a data. Embaixo os vice e diretores, Juarez e Sirlei Fassin, a rainha Kamile Krauzs,Ivar e Maria Basso e Joani Andreola e Maria Cristina, quando houve o descerramento da placa com a diretoria do ano do centenário.   
 
O passado na fotografia
 
 Um grande valor político foi desprezado pelas urnas no último pleito. Edu Finardi Pimentel que foi eleito no pleito de l982, como vereador deixou sua marca com a criação da Feira do Produtor e com a exposição dos pequenos animais, além do amparo ao agronegócio. Perdeu Passo Fundo a oportunidade de eleger alguém que já comprovou suas qualidades e que muito mais faria por sua cidade. Na foto de l982 Edu na inauguração da Feira do Produtor, vendo-se Ivo Pacheco, Firmino Duro, Meirelles, Edu, Carlos Valadarez, Bonna Garcia, Sinval Bernardon e produtores, na gare da Viação Férrea.( Arq. MD).
 
Memórias do Esporte – Garrincha em Passo Fundo
 
Foto 8 )- Segunda-feira última, 21, o mundo esportivo recordou os 30 anos da morte de Garrincha, para muitos o maior atleta em seu tempo. Na foto, já em fim de carreira, ele está entre nós para um amistoso do 14 de Julho diante do Atlântico, dia 3 de março de l968, que contou com sua presença por 1 tempo. O jogo terminou 1x0 para o Atlântico. Estou entrevistando-o vendo-se na foto Miguel Langone, João Pedro Bortolacci, Hilário Rebechi, Rubens Ruas, Jorge Gherardt, Meirelles, Garrincha e Armando Rebechi. No detalhe a equipe do 14, com Garrincha na seta e dirigentes do clube colorado. ( Arq. MD).

Gostou? Compartilhe