OPINIÃO

Frigorífico Borrússia no Litoral

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Recebi da minha amiga e colega Rosane Bertoncello a informação que o churrasco no Litoral de Santa Catarina teve gosto gaúcho, pois além dos moradores de Passo Fundo, a linguiça era de produção do Frigorífico Borrússia de Osório, Rio Grande do Sul.

 

SISBI e SUSAF

O município de Osório é credenciado pelo SUSAF e SISBI, ou seja, os produtos lá produzidos podem ser vendidos em todo o Brasil e desta forma, gerar empregos e renda para a cidade gaúcha. O produto consumido pela Rosane e seus amigos enviou diretamente imposto para Osório e também garante empregos para a cidade.

 

Passo Fundo não consegue avançar

Passo Fundo é credenciado pelo SUSAF e não pelo SISBI, até porque não houve nenhum momento para o credenciamento a nível nacional. Os empresários da nossa cidade estão perdendo mercado para os produtos de outras cidades e de outros Estados. Perdemos na geração de empregos e também em renda. Culpa de quem, não sei, mas é indiscutível que as autoridades e estruturas públicas responsáveis pelo setor não se importam pois na verdade seus empregos não dependem da venda deste setor.

 

Parece bobagem

Parece bobagem, coisa simples ou sem relevância, mas não é meus amigos. O credenciamento do município em novembro de 2018 e nenhum movimento para credenciar as empresas a nível de autorização para o Estado mostra o quanto estamos desarticulados e esperamos que as coisas aconteçam ao acaso. Tio Hugo, Vila Maria, Marau e Erechim fizeram o dever de casa e tiveram envolvimento direto das suas Prefeituras para isto, mas em Passo Fundo mesmo que a pauta seja discutida pelo município nada sai do papel e continuamos perdendo espaço para outras cidades, enquanto laticínios locais fecham ou diminuem a produção. 

 

Aeroporto

Deputado Mateus Wesp se encontrou com o Governador Eduardo Leite para tratar sobre as obras de ampliação do aeroporto. Assunto falado por muitos e com envolvimento de várias autoridades, mas que pela burocracia do Governo Federal não avança e não conseguimos resolver e fazer andar perdendo pelos burocratas.

 

Aeroporto II

Temos várias reclamações, mas a mais grave é o atendimento dentro do aeroporto e isto não depende de verbas, licitações ou projetos. Banheiro interditado não depende de licitações e sim de ações firmes e gestão deste local que se comprometa a atender bem os usuários.

 

Rodovias

O Fernando Machado Carrion ficou com seu nome na história porque enxergou além do seu tempo de Prefeito e merecidamente merece aplausos. As radiais foram obras que deram a Passo Fundo a organização no trânsito por décadas e se não olharmos para isto com responsabilidade haveremos de reclamar daqui vinte anos. Pensar no futuro é pensar na frente e isto é obrigação de quem faz gestão.

 

Acessos

Estamos com acessos nas vilas com problemas críticos e o Estado além de não ter dinheiro é desorganizado para a valorização de parcerias que possibilitem sinalizações, iluminações e até mesmo pequenas obras que melhorem os acessos. Entrada da Ipiranga e Xangrilá, Parque do Sol, Jerônimo Coelho, Vila Jardim, UPF e Santa Marta precisam de melhorias há décadas e lamentavelmente morrem pessoas e as coisas não avançam. Discussões no Ministério Público pretendem impor prazos e ações aos gestores. É o que esperamos.

Gostou? Compartilhe