OPINIÃO

Hazards

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Têm palavras e expressões na língua inglesa que, apesar de terem um significado extremamente claro, são de difícil transposição para o português. Uma dessas é hazards, que mesmo pertencendo ao vocabulário técnico da meteorologia, pela sua importância e reflexos sociais e econômicos, deveria ser de domínio popular.


A dificuldade em encontrar a melhor tradução de hazards para o português não vem de hoje. Um dos mais importantes geógrafos brasileiros, o professor Carlos Augusto de Figueiredo Monteiro, destaca, por exemplo, que um dos últimos seminários com os seus alunos de pós-graduação na USP, em 1985, terminou com uma grande discussão sobre qual o melhor termo para expressar climatic hazards no nosso idioma. O tema seria retomado por ele, em 1991, quando, dando por encerrada uma carreira de quatro décadas dedicadas à pesquisa e ao ensino universitário na Geografia, literalmente passou o bastão, sintetizando as suas contribuições no livro Clima e Excepcionalismo, publicado pela editora da UFSC.


Na categoria dos hazards incluem-se os chamados eventos naturais extremos. E esses vão desde os internos, caso dos sismos e vulcanismos, até os atmosféricos. Os últimos, pela maior freqüência de ocorrência e a dimensão dos impactos, sem dúvida, são os mais importantes. Exemplos mais conhecidos: avalanchas (de neve), secas, enchentes, geadas, granizadas, descargas elétricas, vendavais, tornados e ciclones tropicais (furacões, tufões etc.). Em comum, a interação natureza x sociedade. E as ações humanas, no que diz respeito às decisões e iniciativas que envolvem os riscos inerentes a esses fenômenos são fundamentais na caracterização dos hazards; mesmo que muitos deles tenham previsibilidade imperfeita, podendo ser antevistos apenas como probabilidades cujo tempo de ocorrência é desconhecido.


Retomando a questão inicial: melhor tradução em português para hazard. Talvez seja o caso de se buscar não a melhor palavra, mas mais adequada ou a menos incompleta, considerando-se os aspectos fundamentais subjacentes a esses fenômenos e o comportamento humano diante deles. Uma das primeiras palavras que surge na mente da maioria das pessoas é azar. Mas não parece ser a melhor, embora além de caiporismo (má sorte ou infelicidade constante. A popular urucubaca) também tenha o significado de revés, fatalidade, desgraça, infortúnio, casualidade e acaso, que se enquadram bem com os fenômenos naturais anteriormente citados. E, sem esquecer ainda, o significado em linguagem de turfe, do azarão: cavalo que vence uma corrida, porém não estava entre os favoritos.


Risco é outra palavra que contempla alguns aspectos dos hazards. É a preferida dos franceses. Não pode ser menosprezada, pois envolve uma forte componente antropogênica. E ainda mais se considerando que o mau uso da natureza aumenta a probabilidade de riscos. Este último aspecto intimamente ligado ao conceito de hazard. Mas, também não é a melhor, pois contempla, além de perigo ou possibilidade de perigo, particularmente a questão de perda e a responsabilidade pelo dano (sentido jurídico).


Há quem, ouvindo falar em hazard, logo traduza dor desastre. Essa palavra, literalmente, implica em acidente calamitoso, especialmente o que ocorre de súbito e ocasiona dano ou prejuízo. Envolve ainda o aspecto funesto, de desgraça, de sinistro ou de fatalidade. A origem latina de desastre (des mais astrum), implicando em uma conjunção (des)favorável dos astros. Trás a idéia de malefício e implica em julgamento de valor, que nem sempre pode ser considerado totalmente verdadeiro. Todavia, é a partir de desastre que começa a surgir umas das melhores alternativas, entre as comumente usadas: ACIDENTE. Ela trás implícito o significado de acontecimento casual, fortuito ou imprevisto. Ainda corresponde a acontecimento infeliz, casual ou não, e de que resulta ferimento, dano, estrago, prejuízo, avaria, ruína, destruição, mortes, podendo chegar até a categoria de desastre (calamidade, catástrofe ou cataclisma).

Gostou? Compartilhe