OPINIÃO

Indústria 4.0

Por
· 3 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?


As empresas líderes estão digitizando áreas essenciais ao longo de suas cadeias vertical (de processos operacionais) e horizontal (com parceiros). Além disso, estão aumentando seu portfólio de produtos com funcionalidades digitais e introduzindo serviços inovadores baseados em dados. As empresas, tanto no Brasil como globalmente, preveem um aumento drástico dos seus níveis de digitização. Atualmente, apenas 9% das empresas brasileiras se classificam como avançadas em níveis de digitização, mas em 2020 esse percentual deve saltar para 72%. Para explicar essas mudanças, têm-se usado termos como internet industrial ou fábrica digital. Neste relatório, porém, optamos por usar “indústria 4.0” como uma abreviação para descrever o rumo que as indústrias estão tomando no sentido de transformar completamente a cadeia de valor.
No fim desse processo de transformação, as empresas bem-sucedidas se tornarão verdadeiramente digitais, com produtos físicos em seu núcleo, potencializados por interfaces digitais e serviços inovadores baseados em dados. Essas empresas digitais trabalharão em conjunto com os clientes e fornecedores em ecossistemas digitais industriais.
Esse desenvolvimento vai mudar fundamentalmente cada empresa e também a dinâmica do mercado. Isso ocorrerá em todo o mundo, tanto em países desenvolvidos quanto emergentes. Aqui estão os principais fatores que direcionam a mudança: aumento da receita digital - a maioria das empresas brasileiras prevê aumento de mais de 10% em sua receita anual com a digitização. Empresas do mundo todo esperam US$ 493 bilhões de receita adicional. Redução significativa de custos, tecnologias digitais permitem prazos de entrega menores, melhor utilização dos ativos e qualidade máxima dos produtos.
Graças a isso, as reduções de custo são consideráveis. Praticamente dois terços das empresas brasileiras vão reduzir, em custos, mais de 10% de sua receita. Para as empresas globais, a economia chega a US$ 421 bilhões de dólares por ano. Enquanto a indústria 3.0 focava na automação individual de máquinas e processos, a indústria 4.0 foca na digitização end-to-end de todos os ativos físicos e na integração de ecossistemas digitais com parceiros da cadeia de valor. As atividades de gerar, analisar e comunicar dados sustentam os ganhos prometidos pela indústria 4.0, que engloba diversas novas tecnologias para criar valor.
A Pesquisa Global indústria 4.0: Relatório Brasil, realizada pela PricewaterhouseCoopers Brasil, acredita que a indústria 4.0 é impulsionada por: Digitização e integração das cadeias de valor vertical e horizontal A indústria 4.0 digitiza e integra processos verticalmente em toda a organização, desde o desenvolvimento e a compra de produtos, até fabricação, logística e serviços. Todos os dados de processos de operações, eficiência dos processos e gestão da qualidade, bem como o planejamento de operações, estão disponíveis em tempo real, otimizados em uma rede integrada.
Digitização de produtos e ofertas de serviços: digitização de produtos inclui a expansão dos produtos existentes; por exemplo, adicionando sensores inteligentes ou dispositivos de comunicação que podem ser usados com ferramentas de análise de dados, bem como a criação de novos produtos digitizados, com foco em soluções completamente integradas.
Por Modelos de negócios digitais e acesso de cliente: as empresas líderes também expandem suas ofertas, fornecendo soluções digitais inovadoras, como serviços completos e orientados a dados, e soluções de plataforma integrada.
Por fim o estudo demonstra alguns dados interessantes para empresas que trabalham nesse segmento e para as empresas que ainda não incorporaram a digitização: 93% das empresas no Brasil, acreditam que, em 5 anos, dados serão essenciais para tomada de decisões; 72% esperam ter nível avançado de digitização, em 5 anos; 69% pretendem desenvolver novos produtos ou serviços digitais no futuro. Para Sergio Alexandre Simões Líder de Digital da PWC “com as tecnologias digitais tornando-se commodities rapidamente, o sucesso depende de como os líderes conduzem e comunicam a transformação, além da qualificação dos funcionários para implementar produtos e serviços digitais. Grandes transformações normalmente não são confortáveis para as pessoas; portanto, o trabalho de gestão da mudança nessas empresas será essencial”.

Adriano José da Silva
Coordenador da IMED Business School

Gostou? Compartilhe