OPINIÃO

Leis de congruência

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

 

Em uma ocasião durante a primeira guerra mundial o “führer” designa um capitão para iniciar investigações e posteriores ataques à cidade de Paris.

Chegando lá, o comandante, ao iniciar as investigações com seu pelotão simplesmente apaixona-se por Paris.

Sucessivos telefonemas do alto escalão, do Terceiro Reich, insiste em obter uma data para um ataque em massa com a companhia.

O capitão cada vez que se dirigia ao comando superior achava um motivo de adiamento para o  ataque, mantendo esta postura até o fim da guerra.

Para isso  ele usou de “congruência”, ou seja, através de seu caráter justo e observador, concluiu que Paris era maravilhosa demais para ser destruída com uma guerra, e assim a desviou do fim proposto por uma questão de valorizar e proteger o que lá havia.

Considerando que as leis da congruência sejam querer, poder, ousar e calar, consideremos que é possível:

Querer poder, querer ousar, querer calar,

Também podemos:

Poder querer, poder ousar, poder calar,

Ainda mais:

Ousar poder, ousar querer, ousar calar,

E sobre tudo:

Calar o ousar, calar o poder e calar o querer.

Estas leis são baseadas nas intercorrências dos fatos e fenômenos da vida e também aplicadas conjuntamente com as sete maravilhas do mundo:

1-      Poder ver, 2- Poder ouvir, 3- Poder tocar, 4- Poder provar, 5- Poder sentir, 

6- Poder ri, 7- Poder amar.

Paz e luz!!!!!                                                        contato@nelsonribeiro.com.br 

Gostou? Compartilhe