Libertarte: Comunidade é convidada a apoiar iniciativa

Instituto busca, por meio da arte, a socioeducação preventiva e restaurativa de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O projeto Banda Liberdade, criado há cerca de sete anos no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Passo Fundo, caminha para uma nova fase. Se no começo os ensaios e apresentações se restringiam aos muros do centro, com o passar do tempo passaram a conquistar importantes espaços, como dividir o palco do Planeta Atlântida com o grupo O Rappa. A criação do Instituto Libertarte, com assembleia de fundação marcada para o próximo dia 24 de junho, ampliará as possibilidades de ações e também de pessoas beneficiadas, sem perder o foco de crianças e jovens em situação de institucionalização e vulnerabilidade social.

O Instituto Libertarte busca, por meio da arte, a socioeducação preventiva e restaurativa de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. Ele  terá, entre os seus objetivos, o de possibilitar uma ressocialização efetiva de jovens que cumprem alguma medida socioeducativa, continuar atuando com jovens após eles terem cumprido essas medidas e adolescentes que cumprem outras medidas, além de buscar a prevenção. Para isso, precisará contar com o apoio da comunidade para a realização das atividades que terão caráter artístico e cultural.

O juiz da Infância e Juventude Dalmir Franklin explica que a partir do projeto da Banda Liberdade foi pensada a criação do Instituto. “Tudo que pode ser feito e que pode abrir portas e possibilidades para os jovens trata-se de uma mudança significativa. Existem caminhos distintos para serem trilhados. Se isso vai acontecer ou não vai depender desses jovens, vai depender da comunidade, se vai oportunizar inserções em mercado de trabalho”, exemplifica.

O Instituto será criado na forma de organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP). Na assembleia do dia 24, que se inicia às 15h no Salão de Atos do Júri do Fórum de Passo Fundo, será aprovado o estatuto da entidade, bem como será constituída a diretoria. A assembleia é aberta a todos os interessados. “Precisaremos de apoio da comunidade com recursos e trabalho, queremos atuar com a perspectiva de voluntariado”, acrescenta o juiz.

A apoiadora do projeto Maiaja de Freitas explica que a intenção é trabalhar por meio de oficinas. “Queremos sensibilizar a comunidade para abraçar esse projeto, porque é de médio e longo prazo que vai trazer benefício para todos”, destaca. A criação da entidade permitirá também que se estabeleçam convênios com o poder público. O Libertarte tem como missão apoiar e desenvolver ações para a defesa, elevação e manutenção da qualidade de vida e o bem estar de crianças, adolescentes e jovens em fase de desenvolvimento, em especial com vistas à socioeducação e proteção daqueles que cometeram atos infracionais e/ou tiveram seus direitos violados, e a quem foram aplicadas as medidas socioeducativas e de proteção previstas na legislação pertinente.

Quem tiver interesse em conhecer ou colaborar com o projeto pode entrar em contato pela página do Instituto no Facebook - www.facebook.com/ProjetoLibertarte.

Gostou? Compartilhe