Mutirão para mudar a realidade

Bairros carentes de Passo Fundo recebem desde 2009 o projeto Mutirão de Cidadania. No próximo ano, além dos mutirões será realizado o I Seminário de Responsabilidade Social e as Instituições de Ensino

Por
· 3 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

“Os voluntários envolvidos no Mutirão da Cidadania participam do projeto porque eles realmente têm vocação para este trabalho comunitário”. A declaração da coordenadora do Mutirão da Cidadania e da Escola de Direito da Imed, Thaise Nara Graziottin Costa, enfatiza o comprometimento com a comunidade. Um grupo de voluntários formado por alunos e professores da Imed com o apoio de algumas entidades do município desenvolvem gratuitamente diversas atividades de orientações jurídicas, odontológicas, psicológicas, digital, de economia doméstica, de nutrição e de saúde nas periferias do município. Ações que contribuem para mudar a realidade de centenas de pessoas e proporciona aos acadêmicos momentos de cidadania, aliando teoria à prática.

No ano de 2013, o projeto contará com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS). O dinheiro será investido no V Mutirão de Cidadania e no I Seminário de Responsabilidade Social e as Instituições de Ensino. Uma forma de reconhecimento do trabalho que atingiu em 2012 cerca de mil moradores.

O evento realizado pela Imed conta com o apoio do Centro de Juventude Leão XIII, União das Associações de Moradores de Passo Fundo (Uampaf), Sesc, Escola de Trânsito da Polícia Militar, Escola de Enfermagem da UPF e Escola Técnica de Enfermagem do Hospital São Vicente de Paulo.

Conforme a coordenadora do Mutirão da Cidadania, são promovidos anualmente quatro mutirões e palestras são agendadas em outros momentos abordando temas como a mediação de conflitos, Lei Maria da Penha, direito previdenciário e trabalhista, entre outros assuntos.

Durante os mutirões são realizadas atividades de encaminhamento para atendimentos jurídicos, orientação para escovação e saúde bucal, inclusão digital, diálogos sobre transtornos psicológicos, testes de glicose, medição de pressão arterial, educação para o trânsito, informações sobre direito de família, diálogos sobre acesso à justiça, serviços de cabeleireiro, massagem estética e estética facial, oficinas de padaria e confeitaria.

Em 2011, os bairros beneficiados foram o Zachia (19/05), Victor Issler (16/06), Vila Ipiranga (15/09) e Bom Jesus (20/10).

Benefícios do Mutirão

Conforme a coordenadora do Mutirão da Cidadania o projeto contribui para que as pessoas tenham acesso à informação de como buscar os serviços e recebem esclarecimentos jurídicos e de saúde. A professora Thaise enfatizou a importância do grupo Mulheres da Paz que faz a ponte com a comunidade e também de entidades parceiras, principalmente a Leão XIII. “As Mulheres da Paz estão inseridas nas comunidades e conhecem a realidade dos moradores. Elas esclarecem dúvidas e também nos repassam as necessidades destas comunidades. A Leão XIII também tem um papel muito importante no projeto e no desenvolvimento de ações de cidadania”, ressaltou a coordenadora do Mutirão.

 Grupo comprometido

As pessoas que atuam no projeto são voluntárias. A coordenadora do projeto frisou que elas participam porque realmente têm vocação para este tipo de trabalho. São mais de 400 voluntários envolvidos.

O Mutirão da Cidadania também contribui para a experiência de acadêmicos e professores da Imed. Eles aperfeiçoam as suas habilidades e as técnicas jurídicas através das consultas que realizam gratuitamente nos bairros. “O aluno que participa do projeto volta com outro olhar. A ideia é fazer com que os acadêmicos e professores sejam agentes de mudança contribuindo para mudar a realidade dos cidadãos das periferias do município”, ressaltou Thaise.

Bons frutos

O projeto já rendeu resultados positivos. Além do recurso da (FAPERGS), a Imed recebeu o selo “IES Socialmente Responsável”, da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) enfatizando que a instituição é comprometida com a educação e  a sociedade. Duas acadêmicas da Imed já foram contempladas com o Prêmio da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (AJURIS) de Direitos Humanos.

Próximas atividades

As atividades serão mantidas e ampliadas em 2013. Até o momento foram confirmados os mutirões na Escola do Centro Comunitário Leão XIII, no Zachia (18/05) e na Escola do Centro Comunitário Leão XIII, no bairro Victor Issler (22/06). As palestras acontecerão nos dias 20, 21 e 25 de maio. O I Seminário de Responsabilidade Social e as Instituições de Ensino será no dia 26 de maio. O evento tem como objetivo de dialogar as contribuições que as instituições de ensino realizam para a comunidade do município.

Gostou? Compartilhe