Novo pavilhão de reciclagem deve ser concluído em 60 dias

O objetivo é aumentar a produção da reciclagem de resíduos sólidos

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Prefeitura de Passo Fundo deverá entregar ainda neste primeiro semestre de 2019 o novo pavilhão e nova esteira de reciclagem dos resíduos sólidos produzidos no município. A obra realizada na Central de Triagem e Transbordo deverá ser finalizada e poderá ser entregue aos trabalhadores das cooperativas que realizam o serviço até o final de abril.

Os recursos são de aproximadamente R$ 720 mil, sendo provenientes do Fundo Municipal de Gestão Compartilhada. O investimento feito pela administração municipal tem o intuito de aumentar a produção da reciclagem de resíduos sólidos e a geração de emprego e renda. 

No início da tarde dessa quarta-feira (27), o prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, acompanhado pelo secretário de Meio Ambiente, Rubens Astolfi, estiveram visitando e acompanhando a obra do novo pavilhão. “Com certeza, as condições de trabalho serão melhoradas com essa nova estrutura e a nova esteira, facilitando o serviço dos trabalhadores que reciclam toneladas de lixo produzidos em nossa cidade”, disse Luciano.

Conforme o secretário Rubens, com esse investimento a capacidade de reciclagem triplicará. Atualmente, a Recibela está trabalhando em dois turnos.

Como funciona a reciclagem:

Todo o lixo recolhido no município é levado até a Central de Triagem e Transbordo. Chegando lá, o material recolhido pela coleta seletiva vai diretamente para a separação. Na esteira as sacolas ou sacos de lixo são abertos para o material reciclável ser separado pelos cooperados.

Justamente por essa logística é fundamental que as famílias façam a separação do lixo seco e orgânico em suas casas, como explica Rubens: “a separação dos resíduos nas residências facilita o trabalho de reciclagem realizado por todas as cooperativas, em especial a Recibela, por isso a importância da separação em resíduo orgânico e seco independente de possuir coleta seletiva no bairro”.

Gostou? Compartilhe