OPINIÃO

Novo tratamento para o câncer de mama

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

No congresso da Sociedade Europeia de Oncologia - ESMO 2016, realizado recentemente em Copenhage, Dinamarca, foram apresentados os dados do estudo MONALEESA2, que avaliou o papel do ribociclibe, no tratamento de mulheres com câncer de mama avançado.
O ribociclibe pertence a uma nova categoria de medicações conhecida como inibidores de CDK4/6, que bloqueia a entrada da célula tumoral em uma fase importante de seu ciclo de duplicação celular. Este estudo, de fase 3, avaliou mais de 600 mulheres na pós-menopausa com câncer de mama avançado do tipo receptor hormonal positivo e sem tratamento prévio para câncer de mama avançado, para receber ribociclibe associado ao letrozole (que é um medicamento já conhecido e amplamente utilizado como um bloqueador hormonal) ou letrozole associado a placebo (substância sem efeito terapêutico). O estudo mostrou que o grupo de mulheres tratado com o ribociclibe teve uma melhora de 44% na redução de risco da progressão do câncer de mama em comparação com o grupo tratado apenas com o letrozole, que é considerado a terapia padrão até o momento. As taxas de resposta nas pacientes que receberam o ribociclibe também foram 16% maiores.
De acordo com Gabriel Hortobagy, principal pesquisador do estudo e professor da Universidade do Texas MD Anderson Cancer Center em Houston, Texas, EUA, "esses resultados representam uma prova convincente e sugerem uma mudança no tratamento do câncer de mama avançado".
O ribociclibe ainda não está aprovado para uso comercial, mas uma outra medicação pertencente a essa mesma categoria de inibidores de CDK4/6, o palbociclibe, que já foi aprovada pelo FDA nos EUA, e está atualmente disponível dentro de um protocolo de pesquisa envolvendo mulheres com câncer de mama avançado. Este estudo está sendo conduzido pelo Centro de Pesquisa do Centro Integrado de Terapia Onco-hematológica (CITO).

Rodrigo Ughini Villarroel - oncologista do Centro Integrado de Terapia Onco-Hematológica (CITO). Responsável Tumores Genitourinários, Melanoma, Tumores de Mama e Tumores de Cabeça e Pescoço.

Gostou? Compartilhe