OPINIÃO

O horário de verão e a eficiência energética

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Maiara Morsch é Arquiteta e Urbanista, Professora Universitária, Especialista em Sustentabilidade em Edificações e em Geobiologia, Mestranda em Infraestrutura Sustentável

Amado por muitos e odiado por outros tantos, o horário de verão chegou. E com ele, uma hora a mais de sol todos os dias, além de os dias já serem mais longos nesta época do ano. O horário de verão é adotado no Brasil desde 1931 e trata-se de uma estratégia para economizar energia elétrica. Com o dia claro durante mais tempo, há um impacto positivo no consumo de energia, principalmente na esfera da iluminação pública, comércio e indústria, que retardam o acendimento das luzes. Além disso, o tempo de permanência nas residências é menor, as pessoas tendem a ir para suas casas mais tarde, adiando também esta faixa de consumo de luz elétrica.

Além de reduzir a conta de luz no final do mês, esta é uma boa oportunidade para refletirmos sobre o consumo de energia. Trata-se de uma questão que preocupa o mundo todo, visto que o consumo aumenta a cada ano devido à industrialização, ao aumento de produtos eletrônicos e às cidades cada vez mais urbanizadas. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a medida deve proporcionar uma redução de até 5% na demanda de energia elétrica nos horários de pico. De 2013 para 2014, o horário de verão levou a uma redução da demanda por energia no horário de pico de consumo de 2.565 megawatts, o que representou uma economia de R$ 405 milhões.
O aproveitamento da luz natural pode ser feito durante o ano todo e é o maior benefício para a economia de energia. Abrir as janelas e persianas para deixar a luz solar entrar é uma ótima dica e com isso, a necessidade do acendimento das lâmpadas é retardado e ainda deixa o ambiente mais ventilado, dando uma sensação de maior conforto térmico.

Outra maneira de economizarmos é o uso de eficiência energética, que se resume na busca de menor quantidade de energia para o fornecimento da mesma quantidade de valor energético e ações simples podem fazer uma enorme diferença. Por exemplo, ao optarmos por eletrodomésticos com selo Procel A teremos a garantia de que o nosso aparelho funciona com menos energia e ainda ações como abrir menos a geladeira durante o verão e manter as borrachas em dia para vedação máxima também melhoram o seu desempenho. Outro exemplo é o chuveiro elétrico, que é o grande vilão, ele nunca deve ser usado na temperatura máxima e preferencialmente deve ser substituído por outro com aquecimento de água à gás ou ainda com energia solar. A iluminação artificial também merece atenção especial, mas sobre isso tratarei em outra matéria. Faça a sua parte e contribua para a economia de energia no nosso país!

Gostou? Compartilhe