OPINIÃO

Paixão e espetáculo

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?


O defensor do ex-presidente Lula disse que a denúncia por crimes apontados na Operação Lava Jato foi resultado da avidez pelos holofotes midiáticos da acusação. E citou, sem a menor advertência, a frase dominante na música derradeira interpretada por Freddie Mercury “The Show must go on” (o show precisa continuar), escrita por Brian May. O tom da expressão expõe irritação com os efeitos na mídia da coletiva à imprensa convocada pelo MPF, ao deliberar sobre a denúncia que pronunciadamente usou mais adjetivações do que exibição da prova. A denúncia, no entanto foi aceita pelo judiciário. Agora é acompanhar o andar do processo que versará sobre as provas, contra e a favor do ex-presidente. Tanto uma como outra manifestação ficaram em ilações subjetivas, ou convicções. A comprovação das acusações ou da defesa dependerá de coisas mais concretas. Na verdade não sabemos o teor de centenas de páginas que interligam fatos e situações que só serão apreciados para a validade jurídica no momento oportuno, pelos magistrados.

Na democracia
Vários aspectos vêm à baila num ano eleitoral. E não era esperada nenhuma carícia entre o sistema de comunicação já conhecido e a tendência da maioria dos barões do jornalismo brasileiro que vive a inópia da reprodução dirigida. Está posto o cotejo de forças, sabendo-se que Lula é o nome visado pelos adversários eleitorais. O enredo na malha de corrupção é inegável pesando muito mais para quem está fora do poder. O momento é péssimo para o PT. A democracia, o devido processo legal e o direito de defesa são a única base de sobrevivência, uma vez que há apenas a acusação judicializada e que ainda não significa condenação. A inegável verdade de que outros segmentos partidários estão envolvidos em escândalos e acusações não alivia a base da crise. A democracia não é justa por si só. E nem é tão bela como parece, mas é processo muito melhor do que as diferentes formas de ditadura.

O que ficou
Votei no Lula, convicto de que mudanças fossem feitas. E foram. Vi espaços abertos nas faculdades, melhores salários ao trabalhador, redistribuição para acabar com a vergonha da fome, vi projetos respeitando negros e índios, além de casas para muita gente. Vi idiotas bradando contra o Bolsa família. Magnífico! Uma revolução. Importante é que isso ficou na consciência política do povo.

A decepção
O que decepcionou foi a corrupção, que está instalada há muitos anos no país. O PT usou a mão do gato. Tudo tem que ser revelado e punido. Um partido que parecia forte aderiu à traição ao povo. Vai pagar por isso! Como diria Aristóteles a seu amado mestre: “Amicus Plato, sed magis amica veritas” – Platão é amigo, mas mais amiga é a verdade!

 

Reforma
A reforma previdenciária é urgente. Mais urgente ainda é a revisão da remuneração escandalosa de cargos e funções no parlamento, especialmente o Senado. Só depois haverá ânimo para cortar vantagens dos aposentados.

Retoques:
A morte do líder Shimon Peres, 93 anos, que governou Israel durante sete anos, vem fazendo falta à idéia de compreensão humana.
Observadores preocupados com a votação relâmpago no Congresso. A proposta de repatriação do dinheiro do exterior depende de redação bem esclarecida para não anistiar o crime.
Embora não se fale mais em pedaladas, é impressionante o roubo de bicicletas destinadas ao uso popular na Capital. O projeto é bom e força questionamento da hegemonia do automóvel.
A prioridade de Temer é a venda de concessões do pré sal, que rende caixa! A Petrobras não terá mais exclusividade na exploração. Outros assuntos e reformas vão ficando pra trás! É flexibilização!

A esquizofrenia da sobrevivência democrática para os partidos ainda vai revelar coisas surpreendentes!

Gostou? Compartilhe