OPINIÃO

Parece que foi ontem (e foi)

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Estou em leitura de mais um livro sobre cinema; desde que meu filho se inclinou para essa área fiquei mais aficionado. Às vezes, ele entra em dilemas sobre a escolha profissional e lembro, então, de uma palestra de Clovis de Barros Filho em que ele cita algum filósofo que dizia: perca o tempo que for preciso para definir aquilo que tu desejas de verdade e após não retroceda jamais, nem para pegar impulso. Os pais que têm condições financeiras não deveriam deixar seus filhos frequentar universidades antes dos 23-25 anos; deveriam manda-los viajar para definir desejos e tendências profissionais.
O livro em questão é A Colaboração (Ben Urwand, Editora Leya) e trata do pacto entre Hollywood e o Nazismo na década de 1930 quando, por interesses absolutamente comerciais a América fez vistas grossas para o que acontecia contra judeus, homossexuais, ciganos...na Europa. A atrocidade aconteceu há apenas 70-80 anos...parece que foi ontem e foi.
Há 15 bilhões de anos surgiu o universo, assim, do nada como dizem os físicos. Há 4.5 bilhões de anos surgiram o sol e 1 milhão de anos após surgiu a terra. Depois apareceram partículas que formaram átomos, moléculas que se fundiram e desenvolveram microorganismos que, por sua vez, desenvolveram vida. Porque isso aconteceu, não sabemos. Um dia evoluímos e subimos e descemos das árvores e em outro momento ficamos inteligentes a tal ponto de os humanos serem os únicos seres nessa casa a ter a capacidade de deliberar, ou seja, a fazer escolhas entre certo-errado, amor-desamor, vida-morte.
Em outras palavras, mais simples: éramos seres físicos que se tornaram químicos e que se tornaram biológicos. Em outras palavras: passamos de seres inanimados para seres animados e inteligentes. E a gente, assim mesmo do jeito que somos, somos o resultado final do que se chama evolução. Parece que foi ontem ...e foi.
Deveríamos estar solidários, contemplativos, agradecidos e construtivos. Mas, inteligentemente deliberamos ser piores, mesquinhos e egoístas. Sonhamos pequeno e fazemos pequeno. Quem nos projetou, se é que isso aconteceu, deve estar pensando...deu merda.

Gostou? Compartilhe