Principais escolas de ensino médio têm pouca adesão ao primeiro dia de greve

Apenas o Colégio Fagundes dos Reis não teve aula na manhã desta segunda-feira devido a paralisação dos alunos

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O primeiro dia de mobilização da greve dos professores estaduais teve pouca adesão nas principais escolas de Passo Fundo. No Colégio Fagundes dos Reis não houve aula na manhã desta segunda-feira por uma iniciativa dos alunos que, em apoio aos professores, não entraram nas salas. Apenas crianças do primeiro e segundo ano do ensino fundamental tiveram aula normalmente. O Núcleo do CPERS Sindicato de Passo Fundo espera que no decorrer da semana a adesão ao movimento grevista se intensifique. Para a manhã de terça-feira está marcado um ato em frente à 7ª Coordenadoria Regional de Educação (7ª CRE).

De acordo com a diretora-geral do CPERS Sindicato de Passo Fundo Norma dos Santos Machado o comando de greve continuará a passar pelas escolas para mobilizar os professores e ampliar a adesão ao movimento grevista. ?EURoeA vitória da greve depende de que os educadores, professores aposentados e alunos fiquem conosco nesse momento. Estamos engajados e acreditamos que toda luta vale a pena. A juventude tem dado um grande exemplo para nós educadores apoiando a greve?EUR?, disse fazendo referência ao ato realizado pelos alunos do Colégio Fagundes dos Reis.  Para a sexta-feira, dia 30, está marcado um ato a ser realizado na esquina da Avenida Brasil com a Rua Bento Gonçalves, chamada Esquina Democrática, atendendo a um chamamento de greve em todos os setores da sociedade. Durante a semana, outros atos estão previstos.

Os estudantes do Colégio Fagundes dos Reis apoiaram o movimento grevista e não foram à aula na manhã de hoje. De acordo com a presidente do Grêmio Estudantil Victória de Moraes os alunos estão apoiando os professores em resposta ao apoio demonstrado pelos docentes aos manifestos pela diminuição do valor das tarifas dos coletivos urbanos e pela aplicação de 10% no PIB na educação. Além disso, os estudantes não são favoráveis ao ensino médio politécnico. Nesta terça-feira os discentes devem se reunir na Praça da Mãe para, junto a alunos de outras escolas, apoiarem a manifestação que será realizada em frente à 7ªCRE.

A matéria completa você confere nas edições impressa e digital de O Nacional.  Assine Já

Gostou? Compartilhe