Problema na pista restringe operações no Lauro Kortz

Por determinação da ANAC, modelos turboélice e jatos estão proibidos de operar temporariamente

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os voos da linha Passo Fundo-Viracopos, realizado pela empresa Azul estão suspensos desde a manhã de ontem, no aeroporto Lauro Kotz, em função de problemas na pista.  A medida,  determinada pela  Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), através de nota, atinge aeronaves à reação (turboélice e jato). Ainda sem previsão para retomada dos voos, a pista somente será liberada após o operador aeroportuário comprovar as condições estruturais para garantir o procedimento de aterrissagem em segurança. Aviões com motores convencionais continuam operando normalmente.

 

 

Além da Azul, também está previsto o início das operações da empresa Gol, a partir do dia 11 de agosto, na ligação Passo  Fundo - Guarulhos-SP. A empresa irá operar com um Boeing 737-700, também com motores à reação, portanto, proibido pela ANAC, enquanto o problema na pista persistir.

 

A determinação, como explicou a administradora do aeroporto Lauro Kortz, Clarice Beffart, foi emitida por volta das 10h da manhã, conforme consta no Notice to Airman (NOTAM). O documento é a principal via de divulgação de toda informações aeronáuticas que implicam em alterações ou restrições operacionais direta e imediatamente à segurança, regularidade e eficiência da navegação aérea. “Em função das operações, houve a degradação de parte da pista”, menciona ela enquanto, no lado externo à sala de controle, máquinas já operavam para fazer os reparos assinalados pela ANAC. A abertura de buracos na pista acabam soltando pequenas pedras que podem ser sugadas pelos motores à reação, colocando em risco a segurança operacional.

 

Em nota enviada à reportagem do jornal O Nacional, a agência reguladora da aviação civil brasileira informou que “em consequência das não conformidades encontradas no aeródromo, estão em curso ações para restringir operações de pouso de aeronaves de asa fixa com motor à reação”. A proibição de operação desses modelos de aeronaves está determinado até o dia 05 de setembro. Clarice, porém, afirma que a administração está tentando reverter a decisão para retomar os procedimentos de pouso e decolagem “ainda nesta quarta-feira (07)”.

 

Na tarde de terça-feira (06), a resolução do órgão fiscalizador desviou a rota do voo operado pela companhia aérea Azul, que partiu do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), com destino ao Lauro Kortz, em Passo Fundo, para o Aeroporto Serafim Enoss Bertaso, em Chapecó (SC). “Ainda quando estávamos no ar, o comandante nos avisou que precisaríamos descer em outro aeroporto”, contou a funcionária estadual aposentada, Mirna Nascimento. Já em solo, a carazinhense aguardava com as bagagens que trazia de Palmas (TO) para concluir a viagem de retorno ao local de origem. “Foi a primeira vez que isso aconteceu e eu espero que seja a última”, mencionou. Assim como ela, alguns passageiros se aglomeraram no saguão do aeródromo passo-fundense para fazer o check-in e embarcar em um dos quatro ônibus, disponibilizados pela companhia aérea, que aguardava no pátio externo para o deslocamento até o local provisório de embarque.

 

Gostou? Compartilhe