Procissão de São Cristóvão

Impacto sonoro modifica horário e pode alterar trajeto Definições foram discutidas em reunião no Ministério Público, entre os organizadores do evento, Amac e representantes das secretarias municipais de Meio Ambiente e de Segurança Pública

Por
· 1 min de leitura
Medidas serão colocadas em prática a partir da 55º Festa de São Cristóvão, que acontecerá em julho

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma reunião foi feita no Ministério Público Estadual, no dia 21 de março, para definir algumas alternativas para amenizar os impactos sonoros provocados pela procissão de São Cristóvão, tradicionalmente realizada no mês de julho. O encontro contou com a participação de representantes da organização do evento, da Associação dos Moradores e Amigos do Centro (Amac), das secretarias municipais de Meio Ambiente e de Segurança Pública, além do promotor de justiça, Paulo Cirne.
No termo assinado por todos os participantes do encontro, ficou definido que o horário de início da procissão será às 7h, e não mais às 5h30 como em anos anteriores. Os organizadores da festa religiosa também se comprometeram em elaborar um panfleto para orientar os motoristas, principalmente os de caminhão, para que não utilizem as buzinas mais potentes e de forma ininterrupta.
Com relação ao trajeto da procissão, os organizadores deverão se reunir com a Secretaria Municipal de Segurança Pública para avaliar a possibilidade de início da procissão no bairro Petrópolis, em direção à Avenida Presidente Vargas, possivelmente na altura do Igaí Eventos. “Se a mudança de roteiro for viável, a intenção é que haja um rodízio de trajetos anualmente, para que em um ano seja a partir do Boqueirão e no outro com início no bairro Petrópolis”, explicou o promotor Paulo Cirne.
O promotor salientou ainda que todas as medidas estão sendo tomadas em conjunto com os organizadores da procissão. “O objetivo não é prejudicar, de forma alguma, a realização do evento que é tradicional no município e é muito importante. Queremos apenas fazer as adequações necessárias para preservar um pouco o sossego dos moradores”, ressaltou Cirne.

Gostou? Compartilhe