OPINIÃO

Renan e Jucá na defesa

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O presidente do Senado, Renan Calheiros, já manifestou a pretensão de reduzir a força da delação premiada. Seu principal objeto é eliminar do rol delação de quem seja acusado de crime. Ora, todos sabem que quem mais sabe do crime é o criminoso. Diz que tem sido acusado falsamente. Impressionante é que a proposta veio no momento em que o presidente da Transpetro, Sergio Machado, já conhecido na operação Catilinária fez declaração que derrubou o ministro Homero Jucá. Assim, Jucá e Renan vão andar mais juntos do que nunca, para se defender de acusações gravíssimas. Mas o ministro Teori Zavaski acaba de homologar a delação de Sérgio. Não é de hoje que eminências do poder agem para fragilizar testemunhas e provas históricas do crime organizado. Atacam também a tentativa de aprovar novas leis mais severas para combater criminosos de elite. Um dos casos evidentes de defesa dos próprios interesses dos parlamentares corruptos é o engavetamento da proposta de austeridade encaminhada pelo MP. Ainda existem redutos poderosos que se julgam inatingíveis, mas já não há tanta certeza desse privilégio. A tendência é acabar de vez com a amplidão do foro privilegiado. A resistência dos comandos de Brasília não é coisa nova. Martin Fierro já dizia “...La ley es como el cutijo, no ofiende a quien lo maneja”. Mas isso pode estar mudando!

Sem abafar
Embora muitas tentativas em reduzir intensidade das investigações da PF, a força residual das manifestações das ruas volta à consciência das pessoas. A PF não vai expungir todo o mal encravado no poder político brasileiro, mas é operação inédita, jamais vista nos últimos quinhentos anos! Por isso o presidente interino Michel Temer foi hábil ao desconvidar Jucá, recém empossado ministro. A gravação denunciou suas manobras para abafar a investigação na Operação Lava Jato. E isso pode derrubar governo!

Estrelas cadentes
E assim vamos andando, com tempo para observar que a maioria dos extremados teve rutilância fugaz de estrelas cadentes. Vejam a lista dos acusados e punidos. E a Lava Jato não pára, mais parecendo operação cascata, indicando que muitas estrelas ainda vão cair.

Complicado
A tentativa de reduzir a importância da cultura declinando de ministério próprio serviu para Temer aproximar-se da governabilidade, ao mostrar que pode rever algumas questões. Já no caso de Ricardo Barros, que vem de um PP muito comprometido na Lava Jato e da gafe com o senador Jucá, as coisas são mais complicadas. Pois é, Ricardo Barros, operador de despesas do PP (caso tenebroso), inadvertidamente atacou gastos com a universalização da saúde. Pensando bem, este é caso mais gravoso do que o de Jucá. A largada já foi dada, mas está aparecendo muito pneu furado, nesta corrida urgente de recuperação.


O Brasil pode
Já vivemos momentos históricos que pareciam de difícil superação, mas superamos. Acontece que a rapidez da queda amplia a proporção dos males. “Os sociólogos alemães já preveniam “omnia comparatio claudicat” (toda a comparação é falha). O time do ora presidente Temer precisa preservar aspectos da moralidade para que não se confirme a popular parêmia “eiusdem furfuris” (tudo farinha do mesmo saco). Quem está no pódio da corrupção não deve ser ungido com função pública de destaque. Afinal, já sofremos demais e ninguém deseja que fique a mesma coisa!

Navegar
Está comprovado que Temer é político hábil. E nem podemos deter-nos em apreciações ideológicas de esquerda e direita, nesta hoje. Temos que desvendar este enorme potencial de produção que é o Brasil. E o tempo é curto. Algumas coisas vão atrasar um tempo, mas o desemprego precisa ser atacado logo. É preciso navegar, pois estamos no mar da vida!


Retoques:
* Desculpo-me por não ter comparecido ao encontro de prestação de contas do vereador Padre Wilson Lill. É um dos políticos que realmente ouve o povo.

Gostou? Compartilhe