Serviços da Codepas são discutidos na Câmara

Os pontos mais citados nas reclamações de usuários são o itinerário de algumas linhas

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O vereador Patric Cavalcanti (DEM) convocou para a tarde desta terça-feira (19) uma reunião entre representantes da Associação dos Funcionários da Companhia de Desenvolvimento de Passo Fundo (Codepas), do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Coletivos Urbanos de Passo Fundo (Sindurb), e da direção da Codepas. O encontro, que ocorreu no Plenarinho da Câmara de Vereadores, tratou da possibilidade da entrega de duas linhas de ônibus da Codepas para a empresa Coleurb.

 

Os pontos mais citados nas reclamações de usuários são o itinerário de algumas linhas, a demora na espera e a não pontualidade no horário. A direção informou problemas com 10 veículos que foram comprados e vieram com vício oculto. Trata-se de um problema que aparece posteriormente quando os carros estão em funcionamento e acaba ocorrendo problema de manutenção.

 

A Codepas não tinha ônibus para fazer os reforços, sendo que conta atualmente em sua frota com 24 ônibus, estando com seis destes sucateados. A empresa informou que destes que estão fora de serviço, dois servirão como reforço, assim que voltarem a operar. Durante a reunião, ainda foi solicitada junto à direção da Codepas um rápido retorno em relação à melhoria e manutenção dos ônibus, além da contratação de mais mecânicos.

 

Segundo o diretor presidente da empresa Tadeu Karczeski, o problema é crônico e não é somente enfrentado pela Codepas. Ele explica que as pessoas estão procurando outros modais de transporte, além do público, o que acarretou na redução do número de passageiros e no aumento dos custos. Sobre esta majoração são listados itens como pneus, combustível, manutenção e os próprios veículos. O diretor reforçou que as duas linhas sugeridas para entrega são deficitárias, e que já existem empresas concorrentes executando estes itinerários. “O déficit da Codepas no ano de 2018 foi acima de R$ 2,5 milhões. Não fosse o transporte coletivo, a empresa daria lucro de R$ 800 mil ao ano, sobre os demais serviços prestados pela empresa”, salienta Karczeski.

 

Já o diretor operacional, José Carlos Merlin, se comprometeu a ter um canal direto de comunicação com os funcionários. De acordo com o presidente do Sindiurb, Miguel Valdir dos Santos, a reunião foi positiva pelas tratativas apresentadas. “Em um primeiro momento, não serão retiradas as linhas de circulação. Também pelo fato de a empresa já ter solicitado o conserto de mais dois veículos. Assim, serão dois carros a mais nas linhas, facilitando o trabalho de manutenção dos ônibus”, afirmou.

 

O vereador Patric Cavalcanti (DEM) reforçou que a reunião foi importante para fazer alguns encaminhamentos, dentro da discussão, em prol de melhorar o atendimento da Codepas para os seus passageiros. “Ficou organizado que haverá uma ouvidoria dentro da Codepas para que a gente possa atender a demanda da sociedade que está precisando e quer que o transporte funcione. A comunidade acredita na Codepas e nós também temos que dar o apoio a ela”, ratificou.

 

Patric ainda sugeriu que, dentro do processo licitatório do transporte público que acontece em abril, a Codepas possa fazer a aquisição de micro-ônibus. “Se como foi falado pela direção, que alguns ônibus acabam circulando com poucos passageiros, o micro-ônibus poderá suprir a necessidade e pela metade do custo de um coletivo tradicional”, observou.

Gostou? Compartilhe