Sol deve permanecer até quinta-feira

Para o mês de julho não há previsão de aumento da umidade relativa do ar, como aconteceu em junho e as chuvas devem ficar abaixo da média

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A previsão do tempo apontava instabilidade para o final de semana, mas a entrada de um ar frio e seco ainda no sábado (29) pela manhã possibilitou um final de semana de sol e temperaturas amenas. “No sábado era para chover, mas só amanheceu com nevoeiro. Depois da entrada de um ar frio e seco, ainda no sábado pela manhã, o tempo limpou e o sol apareceu”, destaca o observador meteorológico Ivegndonei Sampaio, da Estação Meteorológica da Embrapa Trigo/Inmet.

Além disso, as temperaturas também não caíram, como era previsto para o final de semana. No domingo (30), por exemplo, a mínima ficou em 6,7ºC e a máxima chegou aos 15,4ºC. A segunda-feira (1º) começou com as mesmas condições climáticas: sol e temperaturas não tão baixas. A mínima foi de 5,2ºC e máxima ficou em 17ºC. O ar seco e frio deve continuar atuando e, por isso, a terça-feira (2) será de céu claro a parcialmente nublado. A mínima deve ficar em torno dos 5ºC e a máxima já chega aos 19ºC, pode ter formação de geada de intensidade fraca ao amanhecer. “A quarta-feira será de céu claro a parcialmente nublado e a temperatura entra em elevação gradativa. A mínima desta terça-feira será de 10ºC e a máxima de 21ºC”, comenta Sampaio.

Na sexta-feira, o céu fica parcialmente nublado a nublado com chuva fraca no decorrer do dia. As temperaturas ficam entre a mínima de 14ºC e a máxima de 23ºC. “Há indicativo de chuva fraca no final de semana, mas as temperaturas não terão declínio acentuado. O calor deve permanecer de quinta até domingo”, destaca o observador.

O mês de junho
O sexto mês do ano, que é conhecido por ser o início do inverno, foi marcado pela alta umidade relativa do ar e frequentes formações de nevoeiro. “Choveu 127,6 milímetros, o que representa 95% da média de 130,6 milímetros. A média da umidade relativa do mês é de 76%, terminou em 86%, dez pontos percentuais acima da média. Dá para se dizer que o mês de junho foi, mesmo com chuva dentro da média, muito úmido”, salienta Sampaio.
A temperatura mais baixa registrada no mês ocorreu no dia 23, quando os termômetros marcaram de 3,5ºC. Já a temperatura mais alta foi registrada no dia 18, de 22ºC. “Não tivemos máximas muito altas e mínimas não tão baixas. A temperatura mais baixa até agora foi a registrada no dia 17 de maio, no outono ainda, de 1,8ºC”, comenta.

Julho
Para o mês de julho, que começou ontem, não há previsão de umidade relativa do ar novamente acima da média. “Julho deve ter chuvas abaixo da média. Pode ser que venha frio intenso, mas não tanta chuva e umidade. Agosto também terá chuvas abaixo da média e promete dias de frio intenso”, avisa o observador.

A matéria completa você confere nas edições impressa e digital de O Nacional.  Assine Já

Gostou? Compartilhe