OPINIÃO

Teclando

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Brigada x baderna

Na madrugada do sábado retrasado (10/09), a Brigada Militar realizou uma grande operação contra a baderna em Passo Fundo. Foi no Parque da Roselândia, com abordagem a mais de 120 pessoas, entre maiores e menores. Veículos foram recolhidos e multados por perturbação do sossego público e teve até prisão em flagrante por porte ilegal de arma. Para viabilizar uma operação deste porte foram necessárias as participações do BOE, batalhões Ambiental e Rodoviário, Conselho Tutelar e Guarda Municipal. A ação integrou uma etapa da Operação Avante. Um trabalhou louvável. Ainda mais quando sabemos que a Brigada enfrenta uma grave deficiência de efetivo. Além dos resultados diretos, esta atividade pode servir de alerta aos baderneiros. É bom que eles saibam que a Operação Avante não terminou. Obviamente, datas, horários ou locais das próximas ações não serão divulgados. Sabe-se apenas que a baderna está na mira. Que as próximas operações também sejam exitosas e retirem muitos baderneiros das ruas. Parece que a baderna já estaria com os dias contados. 

 

Pressentimento

No cotidiano, a campanha eleitoral é tímida. Às vezes até passa despercebida. Alguns carros adesivados nas ruas e discreta distribuição de santinhos pelas calçadas. Para preservação dos ouvidos, ufa, poucos carros de som. Então, poderíamos classificar como “morna” esta campanha? Claro que não. O que parece silencioso para a plateia pode ser indício de barulho nos bastidores. É grande a distinção entre o que enxergamos e ouvimos daquilo que acontece. Aposto, por pura convicção, que a campanha não é tão pacata como pode parecer. A eleição continua sendo uma disputa política, onde cada qual luta com as suas armas. Como essa batalha pode ocorrer em cenários pouco expostos, torço para que as armas em uso sejam éticas e lícitas. Mas, sobre esse quesito, ainda não estou lá muito convicto...

 

Prepare o seu coração...

A nossa vida um é cíclico túnel do tempo. Os icônicos festivais, cujas letras driblavam o cerceamento, ganharão um espetáculo em Passo Fundo. “A Era dos Festivais” estreia em 29 de outubro, no Teatro do Sesc, em mais um trabalho de Wagner & Cia. Desta vez a trupe virá reforçada, colocando nove vozes femininas e mais nove masculinas no palco. O espetáculo, dirigido por Cláudio Wagner, apresentará 21 músicas de festivais da MPB do período 1965-1982. Disparada, Cantiga Por Luciana, Travessia e... não conto mais nada. O repertório é impecável. Controlem a ansiedade, pois outubro é logo ali.

 

Castanho

Os dias passam e os amigos se vão. A perda não é nenhuma novidade, mas transforma-se em lógica de difícil assimilação. E nos últimos meses parece que o destino exagerou um pouco ao usurpar tantos amigos. Na semana passada carregou o Castanho, entristecendo familiares, amigos e frequentadores do Bar Oásis. Foi-se o parceiro “Lobão” e ficaram as suas histórias, agora reascendidas em nossas lembranças. Na Mesa Um, no balcão ou na calçada as recordações acalantam a tristeza.

 

Trilha sonora

Aperitivo para o espetáculo A Era dos Festivais. De 1972, Sérgio Sampaio:

Eu Quero É Botar Meu Bloco Na Rua

http://migre.me/v0Wcz

 

Gostou? Compartilhe