OPINIÃO

Teclando

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Baderna blindada

Sabemos que a baderna, no centro e em outros pontos de Passo Fundo, é um problemão. Sabemos que é muito difícil acabar com essa vergonhosa situação. Sabemos que, para uma efetiva ação ostensiva, faltam instrumentos legais. Então, como uma luz no fim do túnel, surgiu um projeto para criar uma lei que proibiria o consumo e a venda de bebidas alcóolicas em vias públicas. Ora, seria o amparo necessário para o exercício do poder de polícia. Antes, porém, o projeto recebeu emendas que desfiguraram a proposta inicial. A proibição ficou limitada ao período das 23 às 6 horas. E, na pior emenda deste soneto, a proibição será apenas para quem “perturbar o sossego público”. Fantástico. Conseguiram a proeza de criar um assessório para acabar com o principal. A regulamentação da lei sem essas emendas já seria um parto. Imaginem, então, com esses aniquilantes apêndices? Lei aprovada e, teoricamente, seria uma vitória da sociedade. Lei aprovada e, na prática, temos a blindagem da baderna.

 

Crachá para baderneiro

Depois dos remendos, até parece que a baderna ganhou amparo legal. Ora, já que a proibição ficou restrita ao horário entre 23 e 6 horas, será que, então, a baderna estaria liberada das 6 às 23? E o mais interessante é que, mesmo com essa lei em vigor, será permitido o consumo de bebidas alcoólicas nas ruas. Exceto para aqueles que perturbam o sossego público. Quero ver como irão regulamentar isso. Como classificar quem perturba? O que é perturbação? Qual a comprovação do fato? Mas, já que o soneto é estrambótico, poderia ganhar mais uma emenda criando um crachá para os baderneiros. Seria um instrumento prático, que permitira aos policiais o enquadramento apenas dos perturbadores credenciados.

 

Poder de síntese

Acabou a luz no fim do túnel e voltamos à estaca zero. Até poderíamos pensar que os vereadores se esqueceram de um princípio fundamental: a supremacia da administração pública sobre os interesses particulares. O objetivo seria acabar com a baderna, mas faltou objetividade. Em situações como esta, o poder de síntese faria muito bem ao Poder Legislativo. Tão simples que bastaria apenas uma frase. “É proibido o consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas de Passo Fundo”. E ponto final! Mas prevaleceram as emendas e fizeram da limonada um limão. Os baderneiros agradecem o presentão de Natal.

 

Inflação

Como medir a inflação? Ora, existem índices oficiais, baseados em estudo e planilhas. Também podemos fazer paralelos entre bolsa de valores, dólar, reajustes nos combustíveis ou na cesta básica. Mas, aqui em Passo Fundo, utilizo meus próprios indicadores. O Fio, conhecido percussionista e cabeleireiro, reajustou o valor do corte de cabelo. Isso sim é um reflexo de que a inflação chegou a Passo Fundo.

 

Definição

A diferença entre a estética e a estática é a dinâmica da vaidade.

 

Trilha sonora

Natal traz recordações. Saudosista de carteirinha, lembro a expectativa pelos comerciais de fim de ano com o jingle da Varig. Hoje não temos nem a Varig e não ouvimos mais Varig, Varig, Varig. A música de Caetano Zama é dos anos 1960, mas ficou no ar até o último voo da empresa. Como dizia o Brizola, era a nossa Varig.

Use o link ou clique o QR code

http://migre.me/vKHhx

Gostou? Compartilhe