OPINIÃO

Teclando

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Finesse e grossura
Estamos num cenário onde despontam dois comportamentos distintos: finesse e grossura. A finesse é uma palavra de origem francesa definida como uma habilidade para compreensão, uma forma educada de agir, sutileza e bom gosto. Já a grossura é apresentada como aquilo que é grosso, grosseria, falta de educação e arrogância na comunicação. Mas, simplificando, eu defino a finesse como civilidade e a grossura como ignorância. A distinção entre os adjetivos não está representada por bens materiais e não se mede em grades curriculares. A diferença é gritante na conduta das pessoas. Como nem sempre o acesso à educação obtém bons resultados, entendo como uma lapidação quase improvável a transformação da grossura em finesse. Já a situação inversa tem amplas possibilidades, pois até mesmo os resultados de requintados cursos de etiqueta evaporam quando a índole é doentia. Há um momento em que a prepotência traz à tona toda a grossura que estava camuflada por sorrisos e gentilezas. A grossura e a finesse são muito bem detectadas na conduta sociopolítica. É uma peneira por onde passam os bons sentimentos em relação ao próximo, mas o egoísmo e a ignorância não peneiram. Assim, separamos o olhar em relação ao próximo da ganância e do ódio doentio.


A grossura não aceita o debate e é autoritária. A finesse tem diálogo, permite o contraditório e respeita isonomias. Um teste simples, onde ficam bem distintos, é ver aqueles que são a favor da vida e os que pregam a morte. Observando esses e outros detalhes, logo detectamos quem está de um lado ou de outro. O autoritarismo, a censura, a arbitrariedade e o desprezo pelas instituições são formas explícitas de manifestação da grossura. O diálogo, a liberdade, a imparcialidade e o respeito às normas de convivência são indispensáveis para que haja finesse. Impor comportamentos e pensamentos obtusos é pura grossura. Respeitar condutas e ampliar os horizontes do raciocínio é requisito básico para a finesse. A grossura está no tom de voz que exprime raiva intransigente. A finesse está na sonoridade das palavras de equilíbrio e serenidade. Entre a finesse e a grossura há um abismo que separa a racionalidade da ignorância. Apesar desta discrepância, muitas vezes nos confundimos e acabamos enganados pelos disfarces dos interesses. Assim, em constante autoanálise, estou sempre atento para manter distância da grossura. E você, com seus indissociáveis adjetivos, é da turma da finesse ou da grossura?

 

O mordomo
A ficção nos incutiu a ideia de que o mordomo sempre seria o culpado. No cinema, as histórias de detetives tinham um happy end quando desvendavam um crime. E, por algumas décadas, o criminoso era o mordomo. Em alguns suspenses de Alfred Hitchcock o mordomo, culpado ou inocente, aparecia com o arquétipo de suspeito. Até na encantadora animação Aristogatas, da Disney, o mordomo foi escolhido como vilão. Aliás, o personagem tinha o olhar e a conduta do mordomo culpado. E era. O mordomo culpado está na música “Foi o Mordomo”, dos Paralamas do Sucesso. Na realidade o mordomo é um profissional muito bem preparado, um administrador de residências. Porém, diante de algumas modernidades cotidianas, escassearam os mordomos da clássica escola inglesa. Hoje esses profissionais são raros. Resumindo: não temos mais mordomos como antigamente. Essa condição criou um problema na hora de apontar um culpado. Assim, na falta de mordomos, a culpa vem sendo distribuída entremotoristas, porteiros...

 

Compactíssimas
- Sábado, 09, o Menor Palco do Mundo© dará um pulo ao vizinho 540 Pub. É a festa de 10 anos do Sweet Swiss Potatoes, nosso querido Batatinhas. Começa ao entardecer e vai estremecer a Indep.
- Sábado e domingo tem Encontro de Veículos Antigos no Gran Palazzo. Atrações? Entre 500 e 600 raridades!

 

Trilha sonora
A banda sueca Rednex - Hold Me For a White
Use o link: https://bit.ly/2pLuDjx

Gostou? Compartilhe