Teste de HIV em apenas 30 minutos

Cerca de 120 pessoas já realizaram o Teste Rápido no ambulatório de DST/AIDS de Passo Fundo desde a implantação do exame no município em junho deste ano

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Teste Rápido detecta anticorpos contra o HIV na amostra de sangue do paciente em até 30 minutos. Ao mesmo tempo em que o paciente faz o teste, ele já tem conhecimento do resultado. Em Passo Fundo, o exame começou a ser feito na rede municipal de saúde há quase dois meses e é gratuito. O teste é realizado com apenas duas gotinhas de sangue obtidas através de uma picadinha no dedo.

O exame é realizado nos cinco Cais, em 18 ESFs e em dois ambulatórios. Enfermeiros, psicólogos, farmacêuticos e assistentes sociais foram capacitados para fazer o teste rápido. De acordo com a enfermeira do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), do Ambulatório de DST/Aids, Nádia Camargo, nas unidades básicas é oferecido o exame para as gestantes e seus companheiros e no ambulatório de DST/Aids, o teste é realizado para toda a população. A diferença do Teste Rápido para o Teste Elisa está no tempo de espera do resultado. “O resultado do Teste Rápido fica pronto em 30 minutos e o Elisa entre 10 a 15 dias. Além disso, o teste rápido é feito através de uma picadinha no dedo. Os dois são confiáveis”, explicou a enfermeira.

Os pacientes recebem o aconselhamento pré e pós-teste. “Durante o pré-aconselhamento explicamos o que é o HIV e as doenças sexualmente transmissíveis. No pós-aconselhamento é dado o resultado ao paciente e repassamos todas as orientações sobre os riscos e prevenção”, disse Nádia.

O paciente é avaliado e se tiver em situação de exposição de risco deverá repetir o exame em 30 dias, devido a janela imunológica, que é o intervalo de tempo entre a infecção pelo vírus da Aids e a produção de anticorpos anti-HIV no sangue.
A procura pelo Teste Rápido aumentou, mas ainda há certa resistência dos pacientes. “Com o Teste Rápido os pacientes não ficam mais tão ansiosos esperando o resultado em casa. Mas, ainda há uma resistência pelo medo de saber o resultado na hora, ou pela pressa das pessoas, que muitas vezes, não tem tempo de esperar 30 minutos”, ressaltou a enfermeira.

O Ministério da Saúde está investindo no diagnóstico precoce da doença. “A importância do diagnóstico precoce é para que se comece o quanto antes o tratamento. Sabemos também que tem pessoas que são portadoras do vírus do HIV e não procuram uma unidade de saúde e ficam transmitindo o vírus para outras pessoas”, salientou Nádia.

A matéria completa você confere nas edições impressa e digital de O Nacional.  Assine Já

Gostou? Compartilhe