OPINIÃO

Uma ideia e tanto!

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

"Sobre Rodas de Choro e Chimarrão conectando manifestações culturais"

Pedrinho Figueiredo e Samuca do Acordeon, dois músicos expoentes do nosso Estado, idealizaram este projeto que pretende estabelecer a conexão entre duas manifestações importantíssimas da nossa cultura. A Roda de Choro e a Roda de Chimarrão.
Serão cinco encontros envolvendo música, palestras, oficinas, distribuição de panfletos contendo histórias e partituras, além de uma exposição portátil, passando pelas cidades de Encruzilhada do Sul (24/07), Pinheiro Machado (30/07), Pedras Altas (31/07), Tavares (06/08) e Mostardas (07/08).
O projeto levará a estas cidades do interior do Estado o conhecimento de uma identidade nacional que também pertence ao gaúcho e que influenciou e foi influenciada pela música que todo o Brasil cultuava desde a década de 1910: o chorinho. Enaltecer a participação dos músicos gaúchos neste movimento nacional é um dos objetivos do projeto.
Segundo Pedrinho Figueiredo, o chimarrão andou longe, às vezes “costeado” por uma milonga, às vezes por um chorinho. Samuca, responsável pela pesquisa do repertório, reforça: Há anos atrás, músicos gaúchos, tomando chimarrão e ouvindo a Rádio Nacional, desenvolveram um jeito próprio de tocar Choro, e isso, misturado com influências regionais, virou Bugio, Vanera e Vanerão.
O “Sobre Rodas de Choro e Chimarrão” conta com um regional formado por Fernando Sessé (pandeiro), João Vicente Macedo (violão de 7 cordas), Fábio Azevedo “Cabelinho” (cavaquinho), Pedrinho Figueiredo (sax soprano e flauta) e Samuca do Acordeon (acordeon). As intervenções e textos no Libreto sobre o chimarrão são de Heleno Cardeal e os textos do Libreto a respeito das músicas e compositores, são de Arthur de Faria. As fotos que ilustram a exposição portátil são de Eduardo Rocha.
Um time e tanto que, com certeza, estará dando uma grande contribuição para o esclarecimento e preservação de aspectos de extrema importância na nossa tradição e cultura.
Quem sabe, em algum momento, eles realizam este projeto também por aqui?

>>>>

O novo trabalho de Raul Boeira, “Cada Qual Com Seu Espanto”, desta vez em parceria com Márcia Barbosa, reafirma o talento deste querido músico e compositor, referência na qualidade da produção musical do nosso Estado.
Você já tem o seu? Entre em contato pelo e-mail raulboeira@gmail.com e receba o seu pelo correio ou dê uma passadinha no Mc Café do Shopping Bella Città das 12h30 as 14h de quarta a sábado para encontrar com estes artistas que sabem ir onde o povo está.

>>>>

Desde o último dia 14, O Café Fon Fon está com uma programação especial.
É o Café Fon Fon – Palco Musical, projeto vencedor do Prêmio de Programação Continuada para Música Popular 2015, promovido pelo Ministério da Cultura através da Funarte, previsto para durar seis meses, com ingressos a preços populares. Além dos shows, a programação incluirá a realização de workshops com os artistas convidados.
Cinco artistas locais e três nacionais de carreira reconhecida, com repertório de música brasileira estarão passando por lá.
Após Conrado Paulino Quarteto que abriu o projeto dia 14, até o final do ano, subirão ao palco:
Fernando Corona Quarteto - 11/08
Duo Feito em Casa: Catarina Domenici e James Correa - 08/09
Kaaren Wolkmann -22/09
Eduardo Neves e Rogério Caetano – 13/10
Dúnia Elias, Artur Elias e Giovanni Berti – 10/11
Pedro Tagliani Quarteto - 24/11
Leandro Braga Trio - 08/12
Apresentados de maneira instrumental ou cantada, mostrando autores consagrados ou mesmo composições autorais, todos os artistas revelam um cuidado na escolha de seus repertórios e proporcionam o contato com uma produção musical rica e diferenciada e formam uma parcela representativa da diversidade, qualidade e pluralidade dos gêneros musicais brasileiros, entre os quais se destacam o choro, o samba, a bossa nova, a milonga e a canção.
O valor do ingresso para todos os shows do projeto será R$ 10,00 (dez reais).
O Café Fon Fon fica em Porto Alegre na rua Vieira de Castro, 22, entre a Venâncio Aires e José Bonifácio.
Reservas pelos fones: 51- 93727362 e 51- 93080285

Gostou? Compartilhe