Vereadores aprovam projeto que trata da remuneração de servidores

O Projeto de Lei Complementar já havia previamente recebido parecer favorável nas comissões permanentes da Casa em que tramitou

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Vereadores aprovaram, na Sessão Plenária de ontem (8), o Projeto de Lei Complementar (PCL), de autoria do Executivo, que trata da mudança da base de cálculo para incluir, na remuneração dos servidores públicos municipais, as gratificações de regime especial e docência para fins de cálculo das férias pela média duodecimal. O vereador Alex Necker (PCdoB), líder do governo na Câmara, reforçou a importância da proposição. “Estes valores não incidiam para o cálculo das férias e do decimo terceiro. O município entendeu por bem, alterar o estatuto do servidor público, visando contemplá-los para sua inclusão. Assim, esse projeto atende a uma reivindicação de muitos servidores”, esclarece.

 

O Projeto de Lei Complementar já havia previamente recebido parecer favorável nas comissões permanentes da Casa em que tramitou. Na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde teve como relator o vereador Paulo Neckle (MDB), também na Comissão de Finanças, Planejamento e Controle (CFPC), na qual o vereador Valdecir de Moraes (PSB) foi o relator e na Comissão de Cidadania, Cultura e Direitos Humanos (CCCDH), onde o parlamentar Eloí da Costa (MDB) esteve na relatoria.


Segundo a justificativa do projeto, “já está pacificado em todas as instâncias judiciais que tanto a gratificação por regime especial quanto à docência, são parcelas de natureza remuneratória, devendo integrar a base de cálculo para férias”. Com isto, segundo o texto da matéria, este PLC tem a finalidade de rever na esfera administrativa a forma de cálculo das férias para incluir o regime especial e os professores.

Gostou? Compartilhe