OPINIÃO

Voando Pelas Estrelas De Destiny ?EUR" Parte I

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A minha saga pelo mais novo título da Bungie (Halo) começou há dois anos, desde a primeira apresentação na E3 2012. A cara do jogo me agradou bastante, já nas primeiras montagens podia-se perceber a atenção aos detalhes. Ok, admito que de primeira parecia ser apenas um Halo melhorado, o recorrente tema de ficção científica em shooters pela empresa deu essa impressão inicial. Mas não, Destiny seria outra coisa. O lançamento mundial foi no dia 9 de setembro, com a versão digital liberada para o Brasil às 4h. Sim, eu estava acordado, ansioso pelo meu jogo mais esperado do ano.

As diferenças estão, por exemplo, nos elementos de RPG e MOBA, como dano por tiro, evolução das características do seu guardião e seus itens. Quanto às raças, é possível escolher entre arcanos, caçadores e titãs. A interação social também é bem maior do que na saga de Master Chief. Em Destiny, além das arenas multiplayer, é possível fazer missões coletivas ou em esquadrões. Durante a campanha, o jogador é acompanhado por vários outros, todos em missões separadas, mas utilizando o mesmo ambiente na fase - e isso é algo muito bacana.

Assim como GTA V, a produção milionária de 500 milhões de dólares foi além dos games e virou notícia em todos os lugares. É bobo dizer isso ainda, mas é sempre bom lembrar que os games só não movimentam mais dinheiro que a indústria das armas no mundo. O marketing de Destiny foi grande, gerando um enorme hype.  Dois dias antes do lançamento, a Bungie soltou um trailer live-action fenomenal, dois minutos de uma produção perfeita ao som de “Immigrant Song”, do Led Zeppelin. A única coisa ruim ligada à estreia foi o atraso da distribuição das cópias para PS4 no Brasil, um problema de distribuição direto na matriz. Porém, as versões para Xbox 360, Xbox One e PS3 já estão por aí.

As primeiras fases são mais explicativas, introdutórias paras os conceitos e as rotinas dos modos, mas dão o tom ao conjunto da obra. Contudo, isso é assunto para a próxima semana, pois como você viu no título, a gente ainda vai falar muito de Destiny nessa coluna. O destino final dessa nova saga nos games ainda está bem longe.

 

Gostou? Compartilhe