Passo Fundo mantém bandeira vermelha por mais uma semana

Gabinete de Crise do Estado rejeitou recurso apresentado pelo Município

Por
· 4 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Governo do Rio Grande do Sul não acatou ao recurso apresentado por Passo Fundo e manteve a região classificada com bandeira vermelha, pela quarta semana consecutiva, no plano de distanciamento controlado. O anúncio foi feito pelo governador do Estado, Eduardo Leite, durante transmissão ao vivo na tarde dessa segunda-feira (3). Os protocolos da bandeira vermelha começam a valer nesta terça-feira e devem ser respeitados até, pelo menos, o dia 10 de agosto. Durante este período, ficam mantidas as medidas de restrição nas atividades econômicas da região, que proíbem, por exemplo, o atendimento presencial dentro de estabelecimentos não-essenciais, como o comércio de rua, centros comerciais, shopping centers, restaurantes, lanchonetes e padarias.

De acordo com Leite, a região de Passo Fundo apresentou indicadores preocupantes em relação ao avanço do novo coronavírus e à capacidade de atendimento, motivo pelo qual o Gabinete de Crise não aceitou o pedido de reconsideração da bandeira. “As hospitalizações [na região de Passo Fundo] aumentaram 60%. Enquanto em outras regiões as hospitalizações giram ao redor de cinco para cada 100 mil habitantes, em Passo Fundo foi a quase 16 hospitalizações para cada 100 mil. Embora tenha um baixo caso de ativos para recuperados, teve também um aumento de óbitos na região. Está ao redor de um leito livre para cada leito ocupado, demonstrando que precisam ainda ações para a redução do número de casos e de hospitalizações na região de Passo Fundo”, apontou. O governador ressaltou também que, embora a região possua bons hospitais e uma boa oferta de leitos, os indicadores ainda sugerem a necessidade de cuidado e atenção redobrada.

Assim como Passo Fundo, as regiões de Novo Hamburgo e Lajeado tiveram seus recursos indeferidos e foram mantidas em bandeira vermelha, junto com Taquara, Canoas e Porto Alegre, que não apresentaram pedidos de reconsideração. Já as regiões de Santo Ângelo, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Pelotas, Bagé e Caxias do Sul retornaram à bandeira laranja, após terem seus pedidos de reconsideração acolhidos pelo Gabinete de Crise, e agora ficam ao lado das regiões de Capão da Canoa, Santa Maria, Uruguaiana, Cruz Alta, Ijuí, Erechim, Cachoeira do Sul e Santa Cruz do Sul.

Durante a transmissão, o governador anunciou, também, uma expectativa de estabilização e de indicadores mais tranquilos no Estado a partir do mês de agosto. “Estamos discutindo, caso essa estabilização se confirme, alterações em protocolos de bandeira vermelha para permitir o funcionamento de atividades comerciais que, hoje, estão restritas”, explicou.

Aumento na ocupação dos leitos clínicos contribui para manutenção da bandeira vermelha

A região de Passo Fundo apresentou piora na avaliação de um indicador que considera dados específicos da região, somando três destes em avaliação de risco máxima (bandeira preta). De acordo com nota técnica apresentada pelo Estado, justificando a classificação de bandeira vermelha, a região demonstrou agravamento no quadro de ocupação de leitos clínicos confirmados com Covid-19: na última semana, os municípios da região atingiram 106 registros de hospitalizações Covid-19 – aumento expressivo de 61% em relação à semana anterior, quando foram 66 registros. Para os internados em leitos de UTI por Covid-19, por outro lado, a situação apresentou redução, passando de 42 para 37 pacientes. Para pacientes internados em leitos de UTI por SRAG no último dia de análise, a situação também foi de redução, passando de 57 pacientes para 54.

No caso do número de internados em leitos clínicos Covid no último dia do levantamento, o aumento foi de 22,7%, passando de 66 para 81 pacientes. Também se verifica a redução do número de leitos de UTI livres, com 2 unidades a menos que na semana anterior (agora com 22 leitos), contribuindo com a piora do indicador de Mudança na Capacidade de Atendimento da macrorregião Norte. Além disso, Passo Fundo e municípios próximos somaram 622 casos ativos na última semana, frente a 1.569 casos recuperados nos 50 dias antes do início da semana, colocando a região em bandeira laranja nesse indicador. Já no quesito de projeção de óbitos a região apresentou bandeira vermelha, com 23 óbitos apresentados ao longo da semana.

Mudanças no cálculo das bandeiras

O governo do Rio Grande do Sul anunciou, na última sexta-feira, mudanças nos critérios utilizados para o cálculo das bandeiras no modelo de Distanciamento Controlado. As alterações já entraram em vigor nesta rodada e ajustam a linha de corte em sete dos indicadores considerados para a classificação das regiões: três responsáveis por medir a velocidade de avanço da doença, dois que monitoram a incidência (hospitalizações e óbitos) e mais dois de capacidade instalada (leitos livres/leitos Covid). Além disso, o cálculo a partir da 13ª rodada do plano também passa a considerar o saldo do número de pacientes recebidos de outras. Isto significa que, agora, pacientes hospitalizados passarão a integrar os indicadores de hospitalização da cidade em que residem e não da cidade onde estão internados.

Cogestão do plano de distanciamento voltará a ser discutida nesta terça-feira

O Estado ainda avalia uma cogestão do Distanciamento Controlado, dando mais autonomia aos prefeitos para que possam decidir as medidas de restrição adotadas em suas respectivas regiões, e trabalha a questão com a Federação das Associações de Municípios (Famurs). O assunto deve voltar a ser discutido nesta terça-feira (4), em uma reunião entre o governo do Estado, a direção da Famurs e 27 associações regionais. O projeto prevê que seja mantida sob responsabilidade do Estado a análise dos indicadores relacionados ao avanço da pandemia em território gaúcho, assim como a definição das bandeiras de distanciamento controlado. No entanto, caso as associações concordem com o plano de gestão compartilhada, os municípios poderão optar por adotar regras mais brandas do que aquelas inicialmente previstas para cada bandeira, desde que a região entre em um consenso.

Passo Fundo atinge marca de 80 óbitos por coronavírus

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou, na tarde dessa segunda-feira (3), mais dois óbitos de moradores de Passo Fundo em decorrência da Covid-19. As vítimas são dois homens, de 63 anos e 78 anos. Com os registros, a cidade chega a 80 moradores vítimas da doença. De acordo com o boletim municipal, Passo Fundo acumula 3.708 casos confirmados do novo coronavírus desde o início da pandemia. Além disso, o município contabiliza 104 pacientes que testaram positivo e estão internados em hospitais da cidade: 67 em leitos clínicos e outros 37 em leitos de UTI. No Estado, o número de casos confirmados já passa de 71 mil, além do total de 2 mil óbitos em decorrência da Covid-19.

Gostou? Compartilhe