Atualizamos: Passo Fundo permanece em bandeira vermelha

Governo do Estado negou, pela quinta semana consecutiva, o recurso apresentado pela região e manteve classificação de alto risco para o coronavírus

Por
· 4 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Governo do Estado voltou a negar o recurso apresentado por Passo Fundo e manteve a região sob classificação de bandeira vermelha, pela quinta semana consecutiva. O mapa definitivo da 14ª rodada de Distanciamento Controlado, divulgado pelo governador Eduardo Leite na tarde de ontem, começa a valer nesta terça-feira (11) e vigora até o dia 17 de agosto. Durante a transmissão ao vivo, Leite também anunciou a flexibilização nas atividades do comércio não-essencial, mesmo em regiões consideradas de alto risco para o novo coronavírus. As regras estabelecidas pelo Estado – assim como na semana passada – permitem o funcionamento do comércio de rua, shopping centers e restaurantes em dias e horários específicos, com limite de ocupação.

Outra novidade que passa a vigorar nesta terça-feira é a cogestão do plano de Distanciamento Controlado no Rio Grande do Sul. A partir da mudança no modelo, convencionada entre o Governo do Estado e a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul, regiões que discordarem da classificação definida pelo Estado poderão determinar protocolos próprios para cada uma das quatro bandeiras (que variam entre as cores amarela, laranja, vermelha e preta, de acordo com o nível de risco), desde que pelo menos dois terços dos prefeitos que compõem a área concordem com a decisão. “O que nós vamos fazer, como Governo do Estado, é colocar em nossos decretos a previsão desta possibilidade, em que os prefeitos podem ter regulamentação local, desde que convencionada regionalmente. Ou seja, a reunião regional dos municípios é uma condição para que o prefeito possa estabelecer as regras menos restritivas em um decreto próprio”, explicou.

Isto significa que, caso seja de comum acordo, regiões classificadas com a cor vermelha, por exemplo, poderão adotar medidas de distanciamento mais brandas do que aquelas inicialmente previstas para essa bandeira. No entanto, as regras não poderão ser equivalentes ou menos restritivas que a da bandeira anterior, de cor laranja. A decisão deve ter aval da equipe municipal de saúde e ser apresentada ao Governo do Estado. “Isso é uma forma de garantirmos o mínimo de proporcionalidade de protocolos para cada uma das regiões à gravidade que vemos da disseminação do vírus por aquela região. Esse é um passo que estamos dando para que possamos ter, junto com os municípios, a melhor adesão ao plano de distanciamento”, defendeu o governador.


Município ainda avalia novo decreto

Até o fechamento desta edição, a Prefeitura de Passo Fundo não havia divulgado se iria adotar, a partir desta terça-feira, regras para as atividades econômicas semelhantes às da semana passada, quando ficou autorizada a abertura do comércio de rua, camelôs, shopping centers e restaurantes, de quarta a sábado, das 10h às 16h, com 25% do teto de ocupação. Restaurantes também estavam autorizados a abrir à noite, das 19h às 23h. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, o Município ainda aguardava a publicação do decreto estadual para “avaliar os próximos passos”.


Incidência de casos confirmados é considerada “altíssima” na região

Conforme nota técnica apresentada pelo governo, justificando a classificação de bandeira vermelha, a região de Passo Fundo apresentou uma redução de 17% na ocupação de leitos clínicos confirmados com Covid-19, em comparação à semana anterior, registrando 88 pacientes. Embora melhor que na última semana, quando atingiram 106 registros de hospitalizações, o número é ainda bastante superior aos 66 registros registrados na semana retrasada. Como resultado, a incidência de casos confirmados para Covid-19 na região ainda é considerada altíssima. Foram 13,16 hospitalizações registradas nos últimos 7 dias para cada 100.000 habitantes. “Este é um dado que demonstra que a região de Passo Fundo está no patamar da região Metropolitana em nível de hospitalizações quando proporcionalmente à população”, salientou o governador Eduardo Leite durante o anúncio das bandeiras definitivas.

Ainda conforme o documento, também merece atenção o elevado número de óbitos registrados na semana. Foram 20 pacientes da região que falecerem de Covid-19 na semana, ainda que menor que a semana anterior, em que foram registrados 23 óbitos. Esse resultado manteve Passo Fundo em bandeira preta no indicador de Projeções de Óbitos. Por sua vez, o indicador relativo ao de estágio da doença na região manteve-se na bandeira laranja para a vermelha. Foram registrados 645 casos ativos para 1907 casos recuperados nos últimos 50 dias anteriores ao início da semana.


Nove regiões em bandeira vermelha

Após a consideração dos recursos, nove regiões ficaram marcadas com a cor vermelha no mapa definitivo da 14ª rodada do Distanciamento Controlado. Além de Passo Fundo, o Gabinete de Crise indeferiu os recursos apresentados pelas regiões de Palmeira das Missões, Erechim, Capão da Canoa, Taquara, Canoas e Pelotas, que permanecem em bandeira vermelha, por terem apresentado alto nível de ocupação dos leitos e de propagação do vírus. As sete se somam a Novo Hamburgo e Porto Alegre, que já estavam em vermelho e não apresentaram pedido de reconsideração. As regiões de Bagé, Guaíba e Uruguaiana, por outro lado, tiveram sua reconsiderações aceitas e foram classificadas com a bandeira laranja, ao lado de Lajeado, Santo Ângelo, Santa Rosa, Caxias do Sul, Santa Maria, Cruz Alta, Ijuí, Cachoeira do Sul e Santa Cruz do Sul.

“Analisamos uma série de indicadores, como internações, óbitos, proporção de leitos livres por ocupados, ou seja, vários dados que nos ajudam a entender o nível de risco do avanço da velocidade da doença em cada uma das regiões do Estado e também o risco de colapso do sistema hospitalar. O final do mês de junho e o mês de julho seguramente foram os períodos mais difíceis, com velocidade de internações muito alta, mas temos expectativa de que, com a colaboração da população, possamos ver uma redução”, disse o governador.

Passo Fundo supera marca de 90 óbitos por coronavírus

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou, no último domingo, mais dois óbitos de moradores de Passo Fundo em decorrência da Covid-19, somando 91 mortes desde o início da pandemia. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nessa segunda-feira, Passo Fundo acumula 4.231 casos confirmados do novo coronavírus. Destes, 3.798 são considerados pacientes recuperados da doença e 342 casos ativos. O município contabiliza ainda 104 pacientes que testaram positivo e estão internados em hospitais da cidade: 62 em leitos clínicos e outros 42 em leitos de UTI.

Gostou? Compartilhe