Convenções partidárias iniciam na próxima semana

Em Passo Fundo, pelo menos 12 partidos já sinalizaram nomes de pré-candidatos que devem compor as chapas majoritárias

Por
· 6 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O prazo para que partidos políticos realizem as convenções partidárias, a fim de definir coligações e oficializar o nome dos candidatos que irão concorrer às eleições municipais de novembro, começa na próxima segunda-feira (31) e segue até o dia 16 de setembro. As datas fazem parte do novo calendário eleitoral, estabelecido através da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 18/2020, que adiou os principais prazos das eleições deste ano, devido à pandemia do novo coronavírus. Em Passo Fundo, pelo menos 12 partidos já indicaram nomes de pré-candidatos que devem compor as chapas majoritárias, seja disputando o cargo de prefeito ou de vice-prefeito. Todas as candidaturas, incluindo a daqueles que desejam concorrer a uma cadeira no Legislativo Municipal, precisam ser registradas até o dia 26 de setembro.

Com a proximidade do prazo, a maioria dos partidos já começou a definir a data em que deve realizar sua convenção e confirmar ou descartar a candidatura de nomes que vinham sendo especulados como possíveis candidatos à Prefeitura de Passo Fundo. Neste ano, também em decorrência da pandemia, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou a possibilidade de as convenções partidárias serem realizadas por meio virtual, evitando aglomerações. Além disso, ficou definido que os partidos têm autonomia para utilizarem as ferramentas tecnológicas que entenderem mais adequadas para suas convenções.

PSB, MDB e DEM

Entre as siglas que já deliberaram sobre a data, está o Partido Social Brasileiro (PSB), do atual prefeito do município, Luciano Azevedo, que deixa o cargo após governar Passo Fundo por dois mandatos consecutivos e, por isso, não pode concorrer novamente. Para sua sucessão, Azevedo deve apoiar a chapa do colega de partido, Pedro Almeida, que atuou como secretário de Gestão e Cultura. De acordo com o presidente do PSB municipal, Adolfo de Freitas, a convenção do partido está agendada para o dia 7 de setembro. “[Na oportunidade], vamos confirmar a coligação com vários partidos e a chapa majoritária Pedro Almeida e João Pedro Nunes”. Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), João Pedro Nunes é o atual vice-prefeito do Município. A chapa deve ser apoiada pelo Democratas (DEM), cuja convenção está marcada para o dia 6 de setembro, conforme adiantou o presidente municipal do partido, Patric Cavalcanti.

PCdoB e PT

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e o Partido dos Trabalhadores (PT), que estudam a possibilidade de estarem coligados neste pleito, também já definiram as datas para suas convenções. O PCdoB, que lançou a pré-candidatura do ex-deputado Juliano Roso à Prefeitura de Passo Fundo, se reúne de forma virtual no dia 12 de setembro. Já o PT, cuja pré-candidata pelo partido para a chapa majoritária é a professora Valquíria Bispo, realiza a convenção partidária no dia 15 do mesmo mês, também de forma virtual. Embora ambos os partidos tenham anunciado seus próprios pré-candidatos à vaga de prefeito, de acordo com o presidente municipal do PT, Áureo Mesquita, ainda há uma forte possibilidade de que a sigla apoie a candidatura de Roso, construindo uma aliança política do campo de esquerda da cidade, em que Valquíria concorreria como vice.

PSDB e PSL

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) deve realizar convenção municipal na primeira semana de setembro, ainda sem data especificada. A sigla tem como candidato a prefeito o radialista Lucas Cidade (PSDB). Apesar de ainda não ter anunciado quem deverá ser escolhido para compor a chapa encabeçada por Cidade, a principal inclinação é que seja indicado o nome de um candidato filiado ao Partido Social Liberal (PSL). A coligação já vinha sendo especulada desde o mês de junho, quando o presidente estadual do PSL, deputado federal Nereu Crispim, visitou Passo Fundo na companhia do deputado estadual Mateus Wesp e afirmou que o PSL e PSDB pretendiam estar coligados nas eleições municipais deste ano no maior número de cidades gaúchas. À época, os dois realizaram visitas aos órgãos de imprensa da região junto com Lucas Cidade. O então pré-candidato do PSL municipal, Rodinei Candeia, não participou da agenda.

Essa possibilidade ficou ainda mais evidente ontem, com a mudança na executiva municipal do PSL. Alair Humberto Lago, diretor do Case de Passo Fundo, assumiu a presidência da Comissão Provisória do PSL. Ele assume no lugar de Rodinei Candeia, que já havia se lançado como pré-candidato a prefeito pelo partido e pode ficar de fora da disputa eleitoral.

PL e PSL

Valdair Gomes é o pré-candidato do Partido Liberal (PL). O partido vinha conversando com Rodinei Candeia para formar uma coligação. Em entrevista ao ON na última quarta-feira, ambos afirmaram que a tendência era de que, durante as convenções partidárias, se confirmasse uma chapa formada por Candeia como candidato a prefeito e Valdair – que abriria mão de encabeçar chapa – à vice. Com a mudança ocorrida ontem no comando local do PSL, a possibilidade dessa coligação acontecer é remota. As siglas ainda não confirmaram uma data exata para realização da conferência.

PDT e PP

Desde que as eleições municipais começaram a tomar forma em Passo Fundo, o lançamento de uma chapa composta pelo vereador Márcio Patussi, pré-candidato a prefeito pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), e pelo ex-vereador Marcos Susin, anunciado como pré-candidato a vice-prefeito pelo Partido Progressista (PP), é dada como praticamente certa. Ambos os partidos têm convenções marcadas para o dia 4 de setembro – o PDT de forma virtual e o PP, presencial. “Devemos confirmar, durante a convenção, a coligação PP-PDT e a aliança com outros partidos”, garante Susin.

PSC 

O Partido Social Cristão (PSC), que anunciou a pré-candidatura de uma chapa única composta por Claudio Dório, candidato a prefeito, com João Campos como vice, tem previsão de convenção partidária para o dia 5 de setembro. A data, no entanto, ainda não está oficialmente definida.

PSTU e PSol

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) agendou a convenção partidária no município para o dia 12 de setembro. A intenção é sustentar a candidatura de Arthur Bispo como cabeça de chapa e buscar uma possível coligação com o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), que havia anunciado a pré-candidatura do professor Celso Dalberto à Prefeitura de Passo Fundo. A conferência do PSol está marcada para o dia 2 de setembro. O partido não adiantou se a composição de uma chapa ao lado do PSTU deverá ser confirmada.

Republicanos, Cidadania, PTB e PSD

Os partidos Republicanos, Cidadania e Partido Social Democrático também já marcaram conferências partidárias. Todos para o dia 5 de setembro. Eles não possuem seus próprios pré-candidatos anunciados para as chapas majoritárias do município.

Conheça os pré-candidatos

Márcio Patussi (PDT) – Prefeito

É advogado e professor da Faculdade de Direito da Universidade de Passo Fundo. Na Prefeitura de Passo Fundo, já foi secretário de Segurança Pública e de Cidadania e Assistência Social. Foi eleito vereador no município nos pleitos de 2012 e 2016. Também foi presidente da Câmara de Vereadores, no biênio 2015/2016.

Marcos Susin (PP) – Vice-prefeito

É engenheiro agrônomo, produtor rural e foi vereador no município em duas legislaturas, em 2001 e 2005. Também atuou como secretário de Agricultura de Passo Fundo.


Pedro Almeida – Prefeito

É formado em Administração e atua como empresário no ramo de produção musical. Já foi Secretário de Gestão e de Cultura. 

João Pedro Nunes (MDB) – Vice-prefeito

É atual vice-prefeito de Passo Fundo e foi eleito vereador nos pleitos de 2000, 2009 e 2013. Também foi secretário da Criação e Ação Social (atual Semcas) e conselheiro municipal e estadual de Saúde.


Claudio Dóro (PSC) – Prefeito

É engenheiro agrônomo, agricultor e atuou na Emater-RS por quatro décadas. Filiou-se ao PSC no ano passado.

João Campos (PSC) – Vice-prefeito

É pastor, empresário e presidente municipal do Partido Social Cristão (PSC).



*CHAPAS INDEFINIDAS

Arthur Bispo (PSTU) – Prefeito

É trabalhador do transporte público do município e participa de lutas ligadas às causas sociais da cidade.

Vice-prefeito: ?


Celso Dalberto (PSol) – Prefeito 

É professor da rede estadual de ensino. Caso a candidatura se confirme, concorrerá ao cargo de prefeito de Passo Fundo pela terceira eleição consecutiva.

Vice-prefeito: ?


Juliano Roso (PC do B) – Prefeito

É historiador, foi vice-prefeito na primeira gestão de Luciano Azevedo à frente do Poder Executivo Municipal e ocupou uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul entre 2015 e 2019. Também foi eleito vereador por três mandatos, nos anos de 2001, 2005 e 2009. 

Vice-prefeito: ?


Lucas Cidade (PSDB) – Prefeito

É radialista, com atuação na editoria de polícia. Atualmente trabalha como chefe de gabinete do deputado estadual Mateus Wesp.

Vice-prefeito: ?


Rodinei Candeia (PSL) – Prefeito

Advogado, professor universitário e procurador do Estado do Rio Grande do Sul. Também chefiou o setor jurídico da Secretaria do Desenvolvimento e do Turismo do Estado. Ingressou na vida política em 2018, quando concorreu ao cargo de deputado federal. 

Vice-prefeito: ?


Valdair Gomes de Almeida (PL) – Prefeito

É empresário e foi vereador durante três mandatos. No ano de 2018, candidatou-se a deputado estadual pelo Partido da República (PR).

Vice-prefeito: ?


Valquíria Bispo (PT) – Prefeita 

É professora e servidora estadual. Será a quarta mulher a compor a chapa majoritária pelo PT em Passo Fundo, caso a candidatura se confirme.

Vice-prefeito: ?


Gostou? Compartilhe