Trabalhadores do setor cultural podem se inscrever para receber auxílio emergencial até o dia 15 de setembro

Passo Fundo deve receber, até a primeira quinzena do mês, R$ 1,3 milhão para atender este setor que foi totalmente paralisado pela pandemia do coronavírus

Por
· 3 min de leitura
Foto: Divulgação/PMPFFoto: Divulgação/PMPF
Foto: Divulgação/PMPF

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os trabalhadores da cultura e espaços e organizações culturais, interessados em receber os recursos da Lei Federal de Emergência à Cultura, têm até o dia 15 de setembro para fazer o cadastramento. A informação foi repassada pelo Os trabalhadores da cultura e espaços e organizações culturais, interessados em receber os recursos da Lei Federal de Emergência à Cultura, têm até o dia 15 de setembro para fazer o cadastramento.

Passo Fundo aderiu à plataforma estadual de cadastramento de toda a cadeia produtiva do setor cultural dos municípios do Rio Grande do Sul, a partir dos instrumentos de Cadastro de Espaços Artísticos e Culturais e Cadastro dos Trabalhadores da Cultura, previstos na Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc.

Os estados brasileiros ficaram com a responsabilidade do pagamento da renda emergencial aos trabalhadores da cultura no valor de R$ 600,00, em igual número de parcelas do auxílio emergencial, e oferecer, ainda, editais de fomento à cultura.  

Já os municípios receberão recursos que serão destinados para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas, instituições e organizações culturais comunitárias que tiveram as suas atividades interrompidas por força das medidas de isolamento social.  

Passo Fundo deve receber, até a primeira quinzena de setembro, R$ 1.363.000,00 para atender este setor que foi totalmente paralisado pela pandemia do coronavírus. O valor mínimo é de R$ 3.000,00 e, o máximo, de R$ 10.000,00 de acordo com critérios que estão sendo debatidos entre a Secretaria Municipal de Cultura e o Conselho Municipal de Políticas Culturais de Passo Fundo, que vão habilitar e autorizar o pagamento dos subsídios. 

“Já fizemos um Fórum Cultural com a participação do setor cultural e várias reuniões com o Conselho, que vai nos acompanhar passo a passo em todo o processo de repasse dos subsídios a organizações culturais e as especificidades dos editais que vão contemplar mais de 100 projetos culturais. Esta participação é fundamental para que a operacionalização da lei em Passo Fundo seja a mais transparente possível”, afirmou o

Mesmo que o município já tenha iniciado o mapeamento, é fundamental que seja feito o cadastro na plataforma, para unificar os dados em todo o estado. Basta acessar o link https://www.cultura.rs.gov.br/cadastro-pessoa-fisica

A Lei Aldir Blanc ainda depende de regulamentação federal. Após o recebimento, os municípios têm até 60 dias para que as verbas cheguem aos espaços culturais e aos demais projetos selecionados através de editais de fomento, em elaboração., ao presidente da Câmara de Vereadores, Saul Spinelli (PSB).

Passo Fundo aderiu à plataforma estadual de cadastramento de toda a cadeia produtiva do setor cultural dos municípios do Rio Grande do Sul, a partir dos instrumentos de Cadastro de Espaços Artísticos e Culturais e Cadastro dos Trabalhadores da Cultura, previstos na Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc.

Os estados brasileiros ficaram com a responsabilidade do pagamento da renda emergencial aos trabalhadores da cultura no valor de R$ 600,00, em igual número de parcelas do auxílio emergencial, e oferecer, ainda, editais de fomento à cultura.  

Já os municípios receberão recursos que serão destinados para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas, instituições e organizações culturais comunitárias que tiveram as suas atividades interrompidas por força das medidas de isolamento social.  

Recursos para os artistas locais

Passo Fundo deve receber, até a primeira quinzena de setembro, R$ 1.363.000,00 para atender este setor que foi totalmente paralisado pela pandemia do coronavírus. O valor mínimo é de R$ 3.000,00 e, o máximo, de R$ 10.000,00 de acordo com critérios que estão sendo debatidos entre a Secretaria Municipal de Cultura e o Conselho Municipal de Políticas Culturais de Passo Fundo, que vão habilitar e autorizar o pagamento dos subsídios. 

“Já fizemos um Fórum Cultural com a participação do setor cultural e várias reuniões com o Conselho, que vai nos acompanhar passo a passo em todo o processo de repasse dos subsídios a organizações culturais e as especificidades dos editais que vão contemplar mais de 100 projetos culturais. Esta participação é fundamental para que a operacionalização da lei em Passo Fundo seja a mais transparente possível”, afirmou o secretário Municipal de Cultura de Passo Fundo, Henrique Fonseca.

Mesmo que o município já tenha iniciado o mapeamento, é fundamental que seja feito o cadastro na plataforma, para unificar os dados em todo o estado.

A Lei Aldir Blanc ainda depende de regulamentação federal. Após o recebimento, os municípios têm até 60 dias para que as verbas cheguem aos espaços culturais e aos demais projetos selecionados através de editais de fomento, em elaboração.

Gostou? Compartilhe