Mapa preliminar mantém Passo Fundo em bandeira laranja

Classificação foi divulgada no final da tarde desta sexta (04)

Por
· 1 min de leitura
12 regiões do estado estão em bandeira vermelha (Imagem: Divulgação)12 regiões do estado estão em bandeira vermelha (Imagem: Divulgação)
12 regiões do estado estão em bandeira vermelha (Imagem: Divulgação)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Passo Fundo continua em bandeira laranja na 18ª rodada do modelo Distanciamento Controlado, divulgado hoje (04) pelo governo do Estado. A região está em bandeira laranja desde terça-feira (01), após o governo aceitar o recurso apresentado por Passo Fundo.

A região aparece entre os destaques da rodada, como uma das regiões com com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, com 97 registros.

O pedido de reconsideração à classificação da bandeira pode ser encaminhado até as 6h de domingo (6/9). O mapa definitivo será divulgado após análise dos recursos pelo Gabinete de Crise, na tarde de segunda-feira (7/9), por meio de matéria publicada no site do governo do Estado. A vigência das bandeiras da 18ª rodada começa à 0h de terça-feira (8/9) e se encerra às 23h59 de segunda-feira (14/9).

O mapa do Rio Grande do Sul voltou aficar predominante vermelho nesta rodada. O mapa preliminar traz 12 regiões em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto para Covid-19). As outras nove estão em bandeira laranja (risco epidemiológico médio).

Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Guaíba, Porto Alegre, Palmeira das Missões, Erechim, Santa Cruz do Sul, Lajeado, Santo Ângelo e Cruz Alta são as 12 regiões classificadas em vermelho nesta 18ª rodada.

Apesar da estabilização em vários indicadores gerais, o mapa preliminar teve ampliação do número de regiões com classificação de alto risco por conta do aumento de registros de novas internações confirmadas por Covid-19. Esse indicador, em particular, alcançou bandeira preta em algumas regiões. É caso das áreas de Lajeado, Santa Cruz do Sul, Palmeira das Missões, Taquara e Capão da Canoa, algumas delas também com piora no indicador que mede a proporção de casos da doença para cada grupo de 100 mil habitantes.

As regiões de Porto Alegre, Guaíba, Canoas e Novo Hamburgo aparecem novamente com bandeira vermelha, pois a macrorregião Metropolitana teve redução do número de leitos livres de UTI nesta última semana.

Desde a 14ª está vigente o modelo de cogestão, no qual as regiões Covid podem adotar protocolos menos restritivos à bandeira na qual estão classificados, mas no mínimo iguais à bandeira anterior. Para tanto, precisam elaborar planos estruturados próprios aprovados por no mínimo dois terços dos prefeitos e avalizados por uma equipe técnica.

Até as 18h desta sexta-feira (4/9), 16 regiões haviam aderido à cogestão: Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado. O pedido de cogestão de Erechim ainda está pendente.

Notícia atualizada às 18h20

Gostou? Compartilhe