Arte urbana da escadaria é recuperada 

O projeto tem o objetivo de transformar espaços públicos da cidade e locais de convívio com arte, cultura e lazer

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Confraria das Artes e prefeitura realizam no fim de semana a recuperação dos espaços públicos que receberam intervenções artísticas. O primeiro local a receber nova pintura foi a escadaria do Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto. As tintas para o trabalho são disponibilizadas pela Secretaria de Cultura, além de doações. 

 

A artista e coordenadora da Confraria das Artes, Lindiara Paz, destaca que a escadaria foi raspada e lavada antes de receber a nova pintura. “Tivemos sete voluntários para fazer essa recuperação. Até agosto queremos recuperar a escadaria da General Neto, ao lado do Clube Comercial. A Secretaria da Cultura também fornecerá novamente o material necessário para a recuperação do painel da praça da Mãe, do artista Tales Gonçalves Visentin, que foi pichado. A previsão é para que o restauro aconteça nos dias 2 e 3 de fevereiro, se não chover”. A ideia é seguir com a manutenção e a recuperação das obras dos demais espaços públicos da cidade.

 

Desde 2017 diversos espaços públicos chamam a atenção pelas cores e novas leituras possíveis da cidade. Além da escadaria do Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto, outros exemplos são as escadarias da Sete de Setembro e da General Neto. Mais ações foram realizadas na quadra da Praça Tochetto; na rua da Escola Padre Alcides, no bairro Victor Issler; na Escola Fredolino Chimango; na Escola Vovô Nelly; e no muro da Biblioteca Pública Municipal Arno Viuniski.

 

Intitulado Cidade Viva Arte Urbana, o projeto tem o objetivo de transformar espaços públicos da cidade e locais de convívio com arte, cultura e lazer. “Queremos estimular a relação das pessoas com esses espaços, fazer com que os cidadãos se envolvam nas transformações urbanas e valorizem a arte e o artista local”, explica Lindiara.

Gostou? Compartilhe