Gêmeas siamesas recebem alta do HSVP

Acompanhada dos familiares, Kerolyn e Kauany deixaram o hospital após um ano e 19 dias de internação.

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

As gêmeas siamesas Kerolyn e Kauany Ribeiro do Amaral receberam alta hospitalar, ontem, no Hospital São Vicente de Paulo, após um ano e 19 dias de internação. Na Pediatria do HSVP, as pequenas comemoraram o Natal, o 1º ano de vida e a festa de carnaval deste ano. Kauany e Kerolyn deram alta hospitalar pesando 5.700 kg e 7.030 kg, respectivamente.

O diretor médico Dr. Rudah Jorge, lembra que quando elas nasceram e foram para o Centro de Tratamento Intensivo Pediátrico e Neonatal, a direção médica começou a discutir se fariam a cirurgia de separação no São Vicente ou se encaminhariam para outra instituição.  “A decisão foi de que elas seriam submetidas à cirurgia no HSVP e as duas deveriam sobreviver”, disse. A cirurgia foi feita, no dia 02 de outubro, por uma equipe multiprofissional que teve sucesso absoluto. Esse sucesso deveu-se a capacidade dos cirurgiões envolvidos, ao trabalho dos médicos anestesiologistas e, principalmente, ao trabalho da enfermagem, que cuidou das meninas diuturnamente”.

O cirurgião pediátrico Dr. Gustavo Pileggi Castro, responsável pelo procedimento cirúrgico, destacou que daqui para frente Kerolyn e Kauany terão uma vida normal. “Os cuidados que elas necessitam é o manejo adequado de uma bolsa de colostomia utilizada para a saída das fezes e o uso de medicação contínua para controlar o refluxo da bexiga. Elas também deverão passar por outras cirurgias para correção de malformações”.

Emoção da equipe
Um misto de emoção, alegria e saudade tomou conta dos profissionais que cuidaram das meninas. “É um sentimento ambíguo. Ao mesmo tempo em que a gente sabe que elas estão bem e precisam ir para casa, junto da família, nós já estamos com saudades. Dá um nó na garganta”, confessou a técnica de enfermagem Marelize Woivoda, que estava cuidando das gêmeas enquanto elas dormiam, horas antes da alta. A Dra. Jaqueline Cabeda, pediatra que acompanhou as meninas estava bastante emocionada no momento da alta. “Sinto-me muito feliz. Foi uma batalha que conseguimos vencer”. Para o Dr. Gustavo ver o resultado positivo de um longo trabalho é muito gratificante

Dia mais feliz
Este foi o dia mais feliz da vida dos pais Juliano do Amaral e Silva e Adriana Ribeiro. Com as filhas no colo, eles estavam ansiosos para levá-las para casa. “Estou muito feliz. É uma vitória. Este é o melhor dia da minha vida. Eu agradeço de coração aos profissionais do Hospital São Vicente que sempre me acolheram, aos médicos e equipe de enfermagem pelo cuidado com as meninas”, disse a mãe.  

 

Gostou? Compartilhe