Muçulmanos celebram nascimento do profeta Maomé

Data foi celebrada pelos senegaleses durante toda a segunda-feira

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Muçulmanos de todo o mundo celebraram ontem, o Gamou, festa que lembra o nascimento do profeta Maomé. Em Passo Fundo, o evento aconteceu na capela Nossa Senhora da Salete, no bairro Cruzeiro. As comemorações da data, definida pelo calendário lunar e que representa o natal para os muçulmanos, inciou por volta das 8h30min, e se estendeu durante a madrugada. Ao meio-dia foi servido almoço compratos típicos do Senegal. No jantar, o cardápio foi churrasco. A organização ficou por conta da Associação Passo-fundense de Senegaleses. 

 

O Gamou reuniu aproximadamente 150 muçulmanos, de origens árabe e africana, representada pela maioria senegalesa. "Hoje os muçulmanos não trabalham. É dia de agradecer o nascimento do profeta e também de pedir perdão pelos erros cometidos. Queremos viver em paz com todas as religões. Mulçumanos são pelo bem não pelo terrorismo. Nossa lei não permite fazer nada de errado", disse o senegalês, Abdou Aziz Haiaye, 46 anos, um dos organizadores da celebração. Para mostrar o compromisso com a religião, ele mostra um aplicativo no celular, com os horários de todas as orações, total de cinco, que devem ser realizadas ao longo do dia.


Mesmo longe do país de origem, os senegaleses seguem à risca todos os passos do ritual. As vestes chamam a atenção pelo colorido. Antes do início de cada oração, eles realizam um processo de purificação, lavando por três vezes, os pés, mãos, boca, nariz, rosto, mão direita, mão esquerda, cabeça, orelhas e pés. Além da leitura do alcorão, realizam cantos, em grupos.

Gostou? Compartilhe